top of page

Renan pede ao STF extradição e prisão de Jair Bolsonaro

Atualizado: 10 de jan.


O senador Renan Calheiros e o ex-presidente Jair Bolsonaro (Foto: Agência Brasil)

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) encaminhou ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido para incluir o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) no inquérito dos atos terroristas em Brasília e a sua imediata extradição dos Estados Unidos para o Brasil.


Além da extradição, o senador pede também que, caso Bolsonaro se recuse a descumprir esta ordem, ele tenha a prisão preventiva decretada na condição de "fugitivo" da Justiça brasileira.


"Vou solicitar, hoje [9] mesmo, a inclusão formal do ex-presidente da República Jair Bolsonaro, como investigado, no inquérito dos atos antidemocráticos, como aconteceu com o governador [do Distrito Federal] Ibaneis [Rocha] e com o ex-ministro Anderson Torres [ex-secretário de Segurança do DF, exonerado ontem, 8]. Vou pedir que seja reconhecida a condição de Bolsonaro de fugitivo da Justiça brasileira; pedir para que ele venha dar esclarecimentos à Justiça nacional; e, se ele se recusar a vir prestar depoimento, nós vamos pedir, nesta petição que estaremos entregando logo mais, a sua prisão preventiva para garantir a aplicação da lei", afirmou Calheiros.


De acordo com o blog do Otávio Guedes, no G1, Calheiros afirma, no documento já encaminhado ao Supremo, que Bolsonaro tem "participação ativa e responsabilidade" nos ataques terroristas aos Três Poderes no domingo (8). O senador pede também que o ex-presidente dê explicações "acerca de sua reunião ocorrida em Orlando" com o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública de seu governo, Anderson Torres, que neste domingo foi demitido do cargo similar que ocupava no governo do Distrito Federal.


Bolsonaro viajou para os EUA em 30 de dezembro, um dia antes de seu mandato como presidente da República se encerrar e usando seu passaporte diplomático.


Bolsonaro internado?

Jair Bolsonaro (PL) deu entrada no hospital AdventHealth Celebration, nas imediações de Orlando, na Flórida, no começo da tarde desta segunda-feira (9), segundo a mulher dele, Michelle Bolsonaro. A alegação é a de que ele estaria com "fortes dores abdominais". As informações são do colunista Lauro Jardim, do Globo.


''Meus queridos, venho informar que o meu marido Jair Bolsonaro se encontra em observação no hospital, em razão de um desconforto abdominal decorrente das sequelas da facada que levou em 2018. Estamos em oração pela saúde dele e pelo Brasil'', escreveu Michelle em seu perfil nas redes sociais.


Entretanto, de acordo com informações do jornal O Estado de Minas, o referido hospital negou que Bolsonaro tenha se internado em sua unidade.


Em contato com o centro de saúde, foi informado que ninguém com nome de Jair Bolsonaro estava sob cuidados médicos ali.


No entanto, o colunista do Globo sustentou a informação e acrescentou que o médico de Bolsonaro, Antonio Macedo, teria conversado por telefone com médicos dos EUA. Não há previsão de alta.


A suposta internação teria acontecido logo em seguida à divulgação de que o senador Renan Calheiros pediu ao Supremo a extradição do ex-presidente.

300x250px.gif
728x90px.gif