Reprovação de Bolsonaro supera 4 vezes Dilma, Lula e FHC


(Foto: Reprodução)

A reprovação do presidente Jair Bolsonaro ao fim dos dois primeiros anos de mandato é quase quatro vezes maior do que a de seus antecessores, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma Rousseff. Nova pesquisa do Datafolha, divulgada nesta sexta-feira, mostra ainda que a reprovação do presidente aumentou para 40% e voltou a superar a aprovação.

A rejeição a FHC ao fim dos primeiros dois anos de gestão era de 12%, Lula tinha 13% e Dilma 7%, contra os 40% de Bolsonaro.

Na pesquisa de popularidade realizada em dezembro, Jair Bolsonaro era considerado ruim ou péssimo por 32% da população, enquanto 37% o consideravam ótimo ou bom. Nesta última avaliação da população, o percentual dos que aprovam o desempenho do presidente caiu para 31%.

Atualmente, 26% consideram regular o trabalho de Bolsonaro, contra 29% no último mês.

A pesquisa foi feita nos dias 20 e 21 deste mês com 2.030 pessoas em todo o Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

​De acordo com a Folha, as pessoas que têm medo de pegar o novo coronavírus estão entre as que mais rejeitam o presidente. Para 50% dos entrevistados, o atual presidente não tem capacidade de governar o país, contra 52% em dezembro. Os que o consideram capaz tiveram variação de 45% para 46%.

Apesar do aumento da reprovação do presidente, a maioria dos brasileiros é contra a abertura de um processo de impeachment contra Jair Bolsonaro. Esse percentual passou de 50% para 53%, enquanto os que defendem o impeachment passaram de 46% em dezembro para 42% agora, de acordo com a pesquisa.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

1/3
300x250px - para veicular a partir do di
Leia também: