Rio dá início à vacinação aos pés do Cristo Redentor


(Foto: Divulgação/Governo do RJ)

Nesta segunda-feira (18), o Rio de Janeiro deu início à vacinação contra a Covid-19. Em cerimônia promovida pelo governo do estado aos pés do Cristo Redentor, na presença do governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), e do prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes (DEM), a idosa Teresinha da Conceição, de 80 anos, acolhida do Abrigo Cristo Redentor, recebeu a primeira aplicação da CoronaVac no Rio de Janeiro.

"Todo mundo precisa se vacinar contra a Covid. Não tenham medo, a vacina é para que a gente fique com saúde e volte à vida normal", incentiva dona Terezinha.

Lúcida e independente, dona Terezinha também quer se imunizar para voltar a receber a visita dos amigos. "Tomara que seja logo", torce a mineira de Belo Horizonte que veio para o Rio de Janeiro ainda criança e daqui não saiu mais.

A cerimônia estava marcada para as 17h, mas só ocorreu por volta das 18h20. Isso porque o envio das doses pelo Ministério da Saúde, previsto para o início da tarde, atrasou quatro horas.

O Rio de Janeiro é o segundo estado com o maior índice de mortes por milhão de habitantes no país. Segundo os dados do Ministério da Saúde, o estado acumula 482.058 casos de Covid-19 e 27.791 mortes causadas pela doença.

No primeiro momento da campanha de imunização no estado, a prioridade será de profissionais de saúde, deficientes e idosos em asilos ou abrigos, além de indígenas e quilombolas. Segundo o plano de distribuição do Ministério da Saúde, o Rio de Janeiro receberá 487.520 doses da CoronaVac, dentre as seis milhões de doses liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no domingo (17).

Além do Rio de Janeiro, a vacinação já começou em São Paulo, Goiás, Santa Catarina e Piauí. Além desses estados, outras cinco unidades federativas já receberam doses da vacina: Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Tocantins.

Plano da Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, apresentaram nesta segunda-feira (18), no Palácio da Cidade, o planejamento da vacinação no município. A imunização começará assim que a primeira remessa de doses enviadas pelo Ministério da Saúde chegar à capital. Os primeiros vacinados serão os trabalhadores de saúde que atendem diretamente pacientes com Covid-19 e aqueles que estarão envolvidos na campanha de vacinação.

Coube ao município do Rio de Janeiro, neste primeiro momento da vacinação, 231.840 doses da vacina, sendo que 110 mil serão entregues numa primeira remessa do Ministério da Saúde. Devido a esse número restrito inicialmente, a prefeitura decidiu priorizar os profissionais da linha de frente, que somam 102 mil pessoas, e pessoas acima de 60 anos que vivem em abrigos, representando outros 8 mil cidadãos e que serão vacinados nos próprios abrigos e asilos onde vivem. Este é o grupo selecionado para tomar as duas doses da CoronaVac.

"As outras etapas da vacinação, voltadas aos demais grupos prioritários definidos pelo PNI, vão ser realizadas conforme novas remessas da vacina forem entregues pelo Ministério da Saúde. É importante ficar claro que, neste primeiro momento, ninguém deverá ir aos postos de saúde. As vacinas agora são exclusivas para os profissionais da linha de frente e aos pacientes institucionalizados e serão levadas pelos agentes de saúde até eles, nos hospitais, como o Ronaldo Gazolla, e nos abrigos", destacou o secretário Daniel Soranz, em coletiva à imprensa no Palácio da Cidade.

A previsão da SMS é de que a vacinação deverá ser concluída dentro de três a quatro dias. Na quarta-feira, dia 20, apesar de ser feriado do padroeiro da cidade, São Sebastião, as equipes das unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) estarão trabalhando para levar a vacina às instituições de longa permanência cadastradas, entre eles Abrigo Cristo Redentor, Vovó House Hotel Geriátrico, Casa Geriátrica São Mateus, URS Dina Sfat, Abrigo Doce Morada Santa Cruz, entre outros.

Outras fases da vacinação

Quando novas remessas da vacina forem sendo enviadas pelo Ministério da Saúde, a vacinação ocorrerá em todas as 236 unidades de Atenção Primária e nas Policlínicas, a partir das datas que serão informadas futuramente. Também haverá vacinação em pontos estratégicos e no sistema drive-thru em locais a serem anunciados. Para melhor organização e fluxo, evitando aglomerações nos postos, o atendimento será escalonado, por grupos prioritários e até dividido por subgrupos por idades, para os idosos. É importante que cada pessoa só compareça ao posto de saúde no dia de vacinação de seu grupo ou subgrupo.

Não será preciso se cadastrar previamente para tomar a vacina, mas as pessoas precisarão levar um documento oficial de identificação com foto que comprove fazer parte do seu grupo prioritário. Trabalhadores de saúde que tenham registro profissional (médicos, enfermeiros, etc.) deverão apresentar o documento de seu conselho de classe. Outros funcionários de unidades de saúde que também ficam mais expostos ao vírus (maqueiros, porteiros, atendentes, etc.) devem tomar a vacina em sua própria unidade de lotação ou conforme a orientação de seu gestor. Quando chegar a vez dos portadores de comorbidades, eles deverão apresentar laudo médico comprovando terem a doença informada.

Ao tomar a primeira dose, o paciente receberá a caderneta ou comprovante de vacinação e a informação de quando deverá voltar para receber a segunda dose, preferencialmente no mesmo posto de vacinação. É imprescindível que, ao retornar para a segunda dose, a pessoa apresente o comprovante da primeira.

1/3
300x250px - para veicular a partir do di

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também: