Rio faz operação caça bloco e ataca festas clandestinas


(Fotos Públicas)

Este ano não vai ser igual aquele que passou. A marchinha de carnaval da prefeitura do Rio de Janeiro este ano será num tom bem diferente. A Guarda Municipal começou nesta sexta-feira (12) a "Operação Caça Bloco", com emprego de 24 forças-tarefas espalhadas por regiões para coibir a realização de blocos de rua e eventos de carnaval clandestino.

Desde o início da semana, a prefeitura tem monitorado e notificado organizadores de festas clandestinas marcadas para o período de carnaval e poderá autuar os responsáveis, mesmo que não consiga flagrar e interditar os eventos durante sua realização.

Segundo o secretário de Ordem Pública, Brunno Carnevale, a maior parte dos blocos comprometeu-se a não desfilar ou reunir foliões no período carnavalesco, e aqueles que descumprirem serão descredenciados para o carnaval de 2022. Cerca de mil agentes de diversos órgãos da prefeitura vão trabalhar na fiscalização e poderão apreender caixas de som e equipamentos de qualquer aglomeração "com contorno" de bloco carnavalesco, inclusive na praia.

Para reforçar a fiscalização dos espaços públicos, a prefeitura contará com as câmeras 24 horas do Centro de Operações Rio. Além disso, pede que a população use o número telefônico 1746 para denunciar infrações. O município terá ainda apoio da Polícia Militar, que participou da elaboração do plano de ação contra aglomerações.

Segundo Carnevale, a atuação será enérgica, porém, o poder público não pretende inviabilizar o funcionamento das atividades que já são liberadas no município, desde que respeitadas as regras de combate à Covid-19.

"Não estamos fechando a cidade, não estamos radicalizando. Nós continuamos podendo frequentar bares e restaurantes, áreas de lazer ao ar livre, praia, shoppings, comércio em geral, desde que cumpramos as medidas de proteção à vida. Nosso apelo é que sejam evitadas as aglomerações para que se salvem vidas", disse o secretário.

As ações estão previstas no Plano de Prevenção e Combate a Aglomerações, que vai vigorar desta sexta-feira (12) até 22 de fevereiro.

Ao todo, serão empregados, por dia, 490 guardas municipais para as ações de combate às aglomerações.

O esquema especial funcionará diariamente em todas as regiões da cidade, onde as equipes farão o monitoramento preventivo de diversas ruas, praças e espaços públicos em pontos tradicionais de folia nos anos anteriores à pandemia. O planejamento foi feito com base no mapeamento de 68 bairros e áreas de concentração de blocos do carnaval oficial, que serão prioritários durante o patrulhamento e fiscalização.

Caberá ao agente identificar e neutralizar o surgimento de blocos e de aglomerações; fiscalizar as regras sanitárias, como o uso de máscara de proteção; observar o uso indevido do espaço público, como a utilização de mesas e cadeiras; coibir a ação de ambulantes irregulares, além de fiscalizar o estacionamento irregular.

Segundo Carnevale, o trabalho de monitoramento também vai reunir informações após o dia das festas para realizar autuações:"Na hipótese de algum evento ser realizado sem que a prefeitura consiga interditá-lo no momento, teremos a constatação deles diversos meios, e as informações serão usadas como lastro para futuras autuações com base na nossa legislação."

"É importante informar para as pessoas que insistirem em promover eventos que estamos fiscalizando antes, durante e depois." Com base no monitoramento, que já está em curso, a prefeitura notificou plataformas de venda de ingressos que comercializavam entradas para festas irregulares de carnaval.

"Essa comercialização é irregular, esse evento é irregular, e essas empresas estão sendo mapeadas e devidamente notificadas", disse o secretário. Ele explicou que, apesar de o foco da fiscalização serem os organizadores dos eventos, existe possibilidade de frequentadores dessas aglomerações serem enquadrados por infrações sanitárias, como a falta do uso de máscara.

Ações de trânsito

A CET-RIO atuará nas ações de trânsito por toda a cidade. Diariamente serão 55 controladores de tráfego, 15 reboques, 14 viaturas operacionais e 28 motocicletas atuando em ações pontuais, atendimento de ocorrências de trânsito, mitigação de eventuais impactos no trânsito, e ações de apoio, como nos pontos de bloqueio para ônibus e veículos de fretamento. Para orientar a população, serão utilizados 15 painéis de mensagens variáveis.

Através das câmeras, técnicos da CET-RIO, no COR, vão acompanhar o andamento do trânsito nas principais vias, ajustando os tempos semafóricos sempre que identificada qualquer necessidade. Além disso, câmeras serão utilizadas para identificar eventuais pontos de aglomerações e comunicar aos demais órgãos para ações específicas.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

1/3
300x250px - para veicular a partir do di
Leia também: