Rio: MP faz operação contra corrupção e vereador foge


Vereador do Rio de Janeiro, Marcelo Arar (PTB) (Divulgação)

O Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), realizou nesta quarta-feira (27) operação para apurar atos de corrupção praticados na extinta Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Cidade, atualmente Instituto de Vigilância Sanitária, Vigilância de Zoonoses e de Inspeção Agropecuária (Ivisa), entre os anos de 2017 e 2018, na gestão do prefeito Marcelo Crivella.

Um dos alvos da operação, o vereador Marcelo Arar (PTB) fugiu ao ver jornalistas quando estacionou na lateral da Câmara de Vereadores. Citado pelo portal G1, da Globo, que filmou a cena, Arar deu meia-volta a pé e pegou um táxi. Naquele momento, agentes estavam dentro da Câmara cumprindo mandados de busca e apreensão.

O vereador teria intermediado esquema para que normas sanitárias não fossem cumpridas por empresa, que também alvo das investigações. Outro alvo é o coordenador da Ivisa, Eduardo Cezimbra Laviola, que chegou a ser preso em 2018 por suspeita de corrupção,

Apesar dos mandados de busca e apreensão de material com vistas à investigação, Arar e Laviola são investigados, mas não foram denunciados.

Por meio da assessoria de imprensa, o parlamentar disse que confia na Justiça e que prestará "todos os esclarecimentos necessários assim que tivermos acesso aos autos”.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio informou que “o Instituto de Vigilância Sanitária está colaborando com as investigações e acompanha o andamento e a conclusão do caso”.

A operação teve o apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência do Ministério Público do Rio,, da Delegacia Fazendária, da Polícia Civil e Polícia Militar.

300x250px.gif
728x90px.gif