Rio volta a vacinar grávidas, mas só com CoronaVac e Pfizer


(Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio)

A Prefeitura do Rio retomou nesta quarta-feira (12) a vacinação contra a Covid-19 de grávidas e puérperas com comorbidades, porém sem o uso da vacina AstraZeneca/Fiocruz.

Serão utilizadas apenas as vacinas CoronaVac e da Pfizer. A imunização do grupo foi suspensa pela Anvisa na terça-feira (11) em virtude da investigação da morte de uma gestante, de 35 anos, que teve um AVC após tomar a vacina AstraZeneca em um posto de saúde no Rio.

Agora, técnicos apuram se há relação entre o imunizante e o óbito. A recomendação do governo é de que agora a vacinação de grávidas e puérperas seja realizada apenas com a CoronaVac e o imunizante da Pfizer.

Segundo o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, somente grávidas com comorbidade e com indicação médica expressa e detalhada devem ser imunizadas nesse momento.

Para receber a aplicação é necessário apresentar laudo médico detalhado justificando a recomendação e avaliação da relação risco-benefício para a vacinação, além da assinatura do termo de esclarecimento disponível em coronavirus.rio/vacina

O secretário afirmou que ainda faltam testes completos sobre o uso das vacinas em gestantes.

"Mesmo a vacina da Pfizer ainda não tem todos os testes completos para gestantes. Então o médico deve avaliar se aquela gestante deve tomar a vacina ou não. O médico que está fazendo o pré-natal deve ver a comorbidade que ela tem e considerar o risco de ela ter Clovid-19 grave com o risco de ela fazer a vacinação", disse.

Antecipação e adiamento

A Secretaria Municipal de Saúde está antecipando o calendário de primeira dose esta semana. Nesta quinta-feira (13), homens de 48 e 47 anos dos grupos prioritários serão vacinados pela manhã. Já o período da tarde será voltado para as mulheres de 47 e 46 anos, também dos grupos prioritários. Na sexta-feira (14), serão vacinados os homens dos grupos prioritários com 46 anos e, no sábado, as mulheres de 45 anos.

Como o município não recebeu novo aporte da CoronaVac do Ministério da Saúde, a segunda dose desta vacina para idosos de 64 e 65 anos, que estava prevista para esta quinta-feira, foi adiada para a sexta-feira (14). Até lá, a capital deve receber nova remessa do imunizante, estimada em cerca de 90 mil doses, para dar sequência à cobertura.

Os grupos prioritários atendidos nesta etapa da vacinação são pessoas com comorbidades (lista PNI), pessoas com deficiência permanente, trabalhadores da saúde e guardas municipais envolvidos diretamente nas ações de combate à Covid-19, ações de vigilância das medidas de distanciamentos social em contato direto e constante com o público. Pessoas com síndrome de down e doença renal crônica em diálise a partir dos 18 anos podem se vacinar em qualquer dia, independentemente da faixa etária.



Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg