Rodrigo quer mais educação para enfrentar a violência


Nesta quarta-feira, 17, o Leste Fluminense foi o destino do candidato a governador do Rio de Janeiro pelo PDT, Rodrigo Neves. O ex-prefeito de Niterói participou de caminhadas em São Gonçalo pela manhã e Itaboraí à tarde. Ao lado de lideranças políticas da região e de apoiadores, o pedetista discursou sobre a necessidade de um novo planejamento de Segurança Pública para o estado, que seja integrado ao planejamento de desenvolvimento social.

“O policiamento das ruas precisa voltar a ser prioridade. Vamos investir em inteligência, como eu fiz em Niterói, criando Centros Integrados de Segurança Pública nas cidades-polo de todas as regiões do estado. É preciso também valorizar a Polícia Civil e a Polícia Militar e investir em Educação, retomando os CIEPs para que a nossa juventude tenha oportunidade de Ensino Técnico e Profissionalizante para construir sua trajetória e um futuro melhor. É desta forma que nós vamos melhorar a Segurança Pública no estado do Rio de Janeiro”, propõe Rodrigo Neves.

O candidato do PDT avalia o atual modelo da Segurança Pública como incapaz de sanar os problemas da violência. “Estamos aqui em São Gonçalo, esta cidade tão importante, que está abandonada pelo atual Governo do Estado, com barricadas nos bairros. Nos últimos anos o estado do Rio de Janeiro tem sido muito duro para quem vive aqui: a insegurança nas ruas aumentou ainda mais com a fome e o desemprego, e o atual governo do estado nada fez para melhorar a Segurança Pública. É preciso um choque de gestão na área de Segurança Pública”.

Linha 3 do metrô

Em Itaboraí, Rodrigo Neves conversou com a população e falou sobre propostas para melhorar a qualidade de vida na cidade, como a geração de empregos no setor de petróleo: “Nós vamos retomar o Comperj [Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro], porque hoje o Rio de Janeiro produz 3 milhões de barris de petróleo e refina apenas 180 mil barris. Vamos voltar a gerar milhares de empregos no setor de óleo e gás e na indústria naval”.

O pedetista também falou sobre aquela que será a maior obra de mobilidade urbana do estado na próxima década: a Linha 3 do metrô. “Hoje o trabalhador de Itaboraí e São Gonçalo leva duas a três horas para chegar no Centro de Niterói e no Centro do Rio, viajando igual sardinha em lata pela Niterói-Manilha. Em nosso governo vamos tirar do papel a Linha 3 do metrô, o metrô dos mais pobres, o metrô que sempre foi esquecido. Isso será uma mudança para melhor na qualidade de vida do povo”, afirmou Rodrigo Neves.

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif