top of page

Roubos de carga caem pela metade no estado do Rio

Os crimes contra o patrimônio no estado do Rio de Janeiro continuam apresentando reduções expressivas no oitavo mês deste ano. Os roubos de carga registraram o menor número de casos para o mês de agosto dos últimos nove anos: 154, uma queda de 57% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os roubos de veículo e de rua também merecem destaque, com quedas de 30% e 14%, respectivamente.

Agência Brasil / Arquivo

As mortes por intervenção de agente do estado registraram o menor número de mortes para o mês desde agosto de 2014. Na análise mensal, foi observado que o indicador encerrou o mês com 37 mortes neste ano, contra 140 no mesmo mês do ano anterior - representando uma diminuição de 74%. Além disso, o estado do Rio de Janeiro também atingiu uma redução de 22% nos crimes contra a vida (homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte, roubo seguido de morte e morte por intervenção de agente do estado).


"Unimos recursos, informações e esforços para chegar a esses resultados, com reduções tanto nos crimes contra o patrimônio quanto nos crimes contra a vida. O roubo de carga ter diminuído mais de 50% é, sem dúvida, muito relevante, com grande impacto junto ao empresariado que investe no nosso estado. O mesmo pode se dizer sobre a redução de 74% nas mortes por intervenção de agente do estado, pois estamos investindo fortemente em tecnologia, com destaque para as câmeras operacionais portáteis, e no treinamento de nossos policiais", destaca o governador Cláudio Castro.


Em oito meses, a produtividade policial das forças de segurança fluminense demonstrou ótimos resultados. O número de fuzis tirados das mãos dos criminosos aumentou em 36%, totalizando 472 unidades, dentro de um conjunto de 4.582 armas de fogo retiradas de circulação entre janeiro e agosto. Além disso, por dia, as polícias realizaram aproximadamente 105 prisões em flagrantes e recuperaram, em média, 41 veículos roubados.


"Como evidenciam os dados, a integração entre as polícias Civil e Militar tem um impacto positivo na segurança pública para a população fluminense, com uma abordagem mais eficaz na prevenção e no combate ao crime. E isso se reflete nas quedas observadas em agosto nos indicadores estratégicos", analisa a diretora-presidente do ISP, Marcela Ortiz.


Principais indicadores:


Letalidade violenta: 285 mortes em agosto de 2023. Na comparação com agosto de 2022, o delito registrou redução de 22%. No acumulado do ano, a diminuição foi de 1%. Foi o menor número de vítimas para o período desde o início da série histórica, em 1991.


Mortes por intervenção de agente do Estado: 37 mortes em agosto de 2023. Este foi o menor número de mortes para o mês desde 2013. Na comparação com agosto de 2022, o delito registrou redução de 74%. No acumulado, a diminuição foi de 26%. Foi o menor número de mortes para o acumulado desde 2016.


Roubo de rua: (roubo a transeunte, de aparelho celular e em coletivo): 4.640 casos em agosto de 2023. Este foi o menor número de roubos de rua para o mês desde 2013. Na comparação com agosto de 2022, o delito registrou redução de 14%. No acumulado, a diminuição foi de 17%. Foi o menor número de roubos para o acumulado desde 2005.


Roubo de carga: 154 casos em agosto de 2023. Este foi o menor número de roubos de carga para o mês desde 2014. Na comparação com agosto de 2022, o delito registrou redução de 57%. No acumulado, a diminuição foi de 6%. Foi o menor número de roubos para o acumulado desde 2013.


Roubo de veículo: 1.429 casos em agosto de 2023. Na comparação com agosto de 2022, o delito registrou redução de 30%. No acumulado, a diminuição foi de 7%. Foi o menor número de roubos para o acumulado desde 2011.


Armas apreendidas: 4.582 apreensões nos oito meses do ano. Por dia, 19 armas de fogo foram retiradas de circulação.


Fuzis apreendidos: 472 apreensões nos oito meses do ano. No comparativo com o mesmo período de 2022, o delito registrou aumento de 36% no acumulado. Por dia, 2 fuzis foram retirados de circulação.


Prisão em flagrante: 25.460 prisões em flagrante nos oito meses do ano. No comparativo com o mesmo período de 2022, o delito registrou aumento de 11% no acumulado. As polícias prenderam por dia cerca de 105 pessoas.


Recuperação de veículos: 9.872 veículos recuperados nos oito meses do ano. No comparativo com o mesmo período de 2022, o delito registrou aumento de 16% no acumulado.


Apreensão de drogas: 15.295 drogas apreendidas nos oito meses do ano. No comparativo com o mesmo período de 2022, o delito registrou aumento de 9% no acumulado. Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública são referentes aos Registros de Ocorrência (ROs) lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio durante o mês de agosto.


Fonte: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro


Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page