Sargento que matou vizinho em SG continuará preso


Foto: Reprodução

A juíza Juliana Grillo, do 4º Tribunal do Júri de São Gonçalo, decidiu manter o sargento da Marinha Aurélio Alves Bezerra preso. Aurélio é acusado de matar a tiros o vizinho, Durval Teófilo, um homem negro, na porta de sua casa, em São Gonçalo, após confundi-lo com um ladrão. O crime aconteceu no dia 2 de fevereiro, no bairro Colubandê.


A decisão foi dada após uma audiência no Fórum Regional Patrícia Acioli, no Colubandê, na última segunda-feira (9/5). A defesa do sargento alega que ele só atirou em Durval por legítima defesa. No entanto, a família da vítima acredita que o crime teve motivação racista.


Durante a audiência, a juíza ouviu depoimentos do delegado do caso, Leonan Duarte Calderaro, que acredita que não houve racismo por parte do sargento contra a vítima, e também ouvia a fala do sargento. Aurélio afirmou que socorreu Durval assim que percebeu que ele estava indefeso, após realizar os disparos. O militar manteve o argumento de que achou que Durval fosse um ladrão.


Aurélio Alves Bezerra foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por homicídio duplamente qualificado. O caso é considerado homicídio doloso, quando há a intenção de matar. A defesa do sargento tentou, durante a audiência, solicitar a revogação da prisão preventiva do militar, o que foi negado.



Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg