Sintronac avalia greve de ônibus em cinco municípios

O presidente do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac), Rubens dos Santos Oliveira, acenou nesta terça-feira (28/9), segundo dia de assembleias da categoria, com a possibilidade de uma greve de ônibus, que atingirá os municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e Tanguá. É a primeira vez que o dirigente da entidade avalia a hipótese de realização do movimento paredista deste o estabelecimento de negociações com as empresas sobre o reajuste salarial dos trabalhadores, em junho deste ano.

Terminal Rodoviário João Goulart, em Niterói / Foto: Reprodução

A greve estaria vinculada à insistente negativa dos empresários em concederem qualquer percentual de aumento salarial, uma vez que os trabalhadores estão sem reajuste há dois anos. Os donos das empresas de ônibus têm até 1º de novembro, data-base da categoria, para retomar o diálogo com os rodoviários.


Para Rubens, as empresas têm condições de promover o reajuste salarial dos seus funcionários, pois adotaram várias medidas de contenção de despesas para enfrentar a pandemia do coronavírus.


Desde março do ano passado, por exemplo, as companhias cortaram 30% do pessoal, algo em torno de 3,9 mil profissionais, e reduziram a frota em até 50%.


“Houve um drástico corte nos custos das empresas, que, inclusive, demitiram rodoviários mesmo participando do BEm (Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda), que foi criado exatamente para impedir que os trabalhadores fossem postos na rua, pois o Governo Federal complementa um percentual considerável dos salários. Ou seja, não há justificativa para o trabalhador pagar uma conta que não é dele. Sem reajuste não dá, pois entraremos no terceiro ano de perdas salariais irreversíveis. Por enquanto, sem diálogo, sem sensibilidade das empresas, as assembleias estão indicando o caminho de uma paralisação”, avalia o presidente do Sintronac.


Nesta terça-feira, 124 rodoviários das empresas Auto Ônibus Alcântara S.A, Icaraí Auto Transportes S.A, Auto Viação ABC S.A e Viação Mauá S.A aprovaram a proposta de reajuste salarial de 10%; aumento de 20% nas demais cláusulas econômicas do contrato de trabalho; R$ 400,00 para o valor da cesta básica; comissão de 2% para os motoristas que acumulem a função com a de cobradores; e instalação de cofres nos pontos finais de maior circulação para que volumosas quantias de dinheiro não sejam transportadas pelos trabalhadores. Nos dois dias de assembleias, 236 trabalhadores apoiaram a proposta e 87 votaram em indicativos rejeitados pela maioria.


Nesta quarta-feira (29/9) funcionários das empresas Transturismo Rio Minho LTDA, Expresso Tanguá LTDA, Auto Viação Tanguaense LTDA, Auto Ônibus Fagundes LTDA, Expresso Rio de Janeiro LTDA e Rio Ita LTDA participam das deliberações, divididas em grupos de empresas para evitar aglomerações.

 






Ganhe_Ate_300x250px.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
Aumentou_728x90px.gif