top of page

Técnico de carreira será trocado por militar no Ibama

O Ibama vai exonerar o chefe do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais(Prevfogo) — unidade de combate às queimadas — e substitui-lo por um militar. A exoneração ainda não foi publicada em Diário Oficial. O analista ambiental Gabriel Constantino Zacharias — que está no Prevfogo desde 2005, e no cargo de chefia do departamento há cinco anos — será substituído pelo militar Antonio Pedro Diel Bastos de Souza, capitão do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.


Fogo se alastra pelo Pantanal. Foto: Chico Ribeiro/ Gov. MS

A troca de chefia ocorre no momento em que o país apresenta as mais altas taxas de desmatamento por fogo na Amazônia e no Pantanal. Na semana passada, o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente), demitiu o coronel Homero de Giorge Cerqueira da presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A exoneração se deu após discordâncias sobre a crise das queimadas, e o coronel Fernando Cesar Lorencini ocupa interinamente a presidência da autarquia. Enquanto isso, ambientalistas denunciam as manobras do governo para militarizar a gestão ambiental no país.


Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Pantanal apresentou um aumento de 240% nos focos de calor no início de agosto. Os dados absolutos já apresentam uma alta de 53%, quando contrapostos aos cálculos do mês inteiro, no ano passado. No entanto, até o dia 30 de julho, o Ibama só havia investido 19% de seus recursos previstos para contenção e prevenção de incêndios florestais.


Pesquisadores relacionam o aumento das queimadas na região também ao desmatamento na Amazônia – é da floresta que vem a maior parte da umidade que alimenta o Pantanal, explicam. Os números confirmam o problema: as áreas de desmatamento aumentaram 34,5% no período de um ano, de agosto de 2019 a julho de 2020.


* Com informações do Globo Online.

300x250px.gif
728x90px.gif