Teleférico do Complexo do Alemão poderá ser reativado


O governador do Estado do Rio, Cláudio Castro, fechou nesta sexta-feira (12/11) um acordo com a empresa Poma para a reativação do Teleférico do Complexo do Alemão. Durante visita à fábrica, em Voreppe, na França, foi definida a entrega da proposta técnica em dezembro, contendo o cronograma e o orçamento para a realização das obras.

Divulgação

"Hoje, avançamos nas negociações para reativar os equipamentos e instalações do Teleférico do Alemão, que está parado há mais de cinco anos. Vamos devolver à população das comunidades do complexo esse importante meio de transporte. Vamos levar mais dignidade aos moradores e ajudar no desenvolvimento econômico da região, já que a volta do teleférico movimenta a economia local, gerando emprego e renda e atraindo, inclusive, turistas" ressaltou Castro.


Representantes da Poma, que detém a exclusividade do sistema eletromecânico do equipamento, vistoriaram o teleférico no início de setembro e elaboraram um relatório técnico de danos. A proposta foi apresentada hoje ao governador, que solicitou uma análise detalhada em relação aos custos. A empresa vai ficar responsável pela tecnologia e revitalização do cabeamento e cabines.


Já as obras civis para recuperação das seis estações do sistema – que incluem instalações hidráulicas e sanitárias, aparelhos de ar condicionado e revestimentos – serão realizadas pela Secretaria de Infraestrutura e Obras. Com recursos oriundos da concessão dos serviços de saneamento, essa fase das intervenções está orçada em R$ 10 milhões e deve durar de 10 a 12 meses.


"A reunião foi importante do ponto de vista técnico. Vimos de perto o funcionando da fábrica. Esperamos que as obras estejam com força total no ano que vem. Em relação às intervenções de obra civil, lançaremos o edital de licitação em dezembro" explicou o secretário Infraestrutura e Obras, Max Lemos.


Dez mil pessoas beneficiadas


Com percurso total de 3,5 quilômetros e 152 gôndolas, o teleférico beneficia 10 mil moradores das comunidades de Bonsucesso, Adeus, Baiana, Alemão, Itararé e Palmeiras. No total, o deslocamento dura 16 minutos.


Os secretários da Casa Civil, Nicola Miccione, de Desenvolvimento Econômico, Vinicius Farah, e do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha, também participaram da visita à fábrica da Poma.


300x250px.gif
728x90px.gif