Tiros e gás: garimpeiros atacam Yanomamis novamente


Reprodução

Neste domingo (16/5), por volta das 22h, garimpeiros clandestinos voltaram a atacar a aldeia Palimiú, nas Terras Indígenas Yanomami (TIY), a 260 quilômetros de Boa Vista, em Roraima. Desta vez, segundo a Associação Hutukara Yanomami, eles chegaram em 15 barcos e, além de disparos com armas de fogo, lançaram bombas de gás contra os indígenas. Lideranças da etnia confirmaram a morte de duas crianças durante o ataque de segunda-feira (10/5), possivelmente afogadas. Uma delas era o filho do cacique Fernando Palimi Thëri.


“Após todos terem corrido dos tiros, elas ficaram perdidas. No dia 11, os adultos saíram à sua procura. No dia 12, encontraram os dois corpos caídos na água”, diz uma nota divulgada pela associação.


Em entrevista ao jornal O Globo, o vice-presidente da entidade falou sobre o ataque de domingo, quando os Yanomami telefoneram para pedir ajuda.


“Os olhos estavam ardendo, indicando o disparo de bombas de gás lacrimogênio.Eles estavam muito aflitos e gritavam de preocupação ao telefone. Ao fundo, era possível escutar o som dos tiros. A situação é grave”, contou Dario Kopenawa, que publicou na redes sociais o vídeo do último ataque dos garimpeiros, gravado pelos Yanomami.




Leia a nota na íntegra:


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg