Tite diz que seleção pediu à CBF para não sediar torneio


Técnico Tite durante a entrevista coletiva, última antes da estreia contra a Venezuela (Reprodução)

O técnico da Seleção Brasileira soltou o verbo neste sábado (12) contra a organização da Copa América e revelou que tanto ele quanto jogadores e comissão técnica pediram ao presidente da CBF Rogério Caboclo, afastado após o escândalo de assédio sexual, que o Brasil não sediasse a competição. Segundo Tite, o pedido aconteceu antes da proposta ser levada ao governo federal.

"Pedimos antes ao presidente da CBF. Eu pedi, os atletas pediram, o Juninho pediu antes de ela ser definida que ela fosse no Brasil. Antes, nós pedimos antes. Nós fomos leais e pedimos antes. Antes de levar ao presidente da República, ao país, colocamos essa situação que não gostaríamos, pelo respeito, por tudo o que estava envolvendo, por um lado sentimental. Ficamos à mercê, pediram tempo para nós, aí a situação ficou definida e ficamos expostos", revelou o treinador em sua última entrevista coletiva antes da estreia do Brasil contra a Venezuela neste domingo.

Tite criticou a Conmebol e disse que a organização do torneio no Brasil foi feita "de forma atabalhoada".

"Quando um campeonato é feito de forma atabalhoada, rápida, excessivamente como a Conmebol fez, ela está sujeita a essa situação. E vai mudar de novo", disse o treinador, referindo-se a mudança no regulamento da competição após cinco jogadores e outros oito membros da delegação da seleção da Venezuela terem testado positivo para covid-19 - foi retirado o limite de cinco substituições por covid-19 na lista final de convocados e agora agora as seleções poderão fazer trocas na lista final de jogadores, até mesmo no decorrer da competição, sem limite de mudanças,

Ao ser indagado se a seleção masculina faria alguma manifestação contra assédio sexual e moral como fizeram as jogadoras da seleção feminina - elas entraram em campo carregando uma faixa com a frase "assédio não" -, Tite respondeu de forma indireta e deixou claro que os atletas não farão, mas disse que o fato "é gravíssimo" e ressaltou a coragem da funcionária da CBF pela denúncia e que torcerá por justiça.

"O fato ele é gravíssimo. Assédio não! Eu tenho um respeito a coragem da funcionária por um assunto tão difícil ser exposto. Eu torço para que a Justiça de todos os envolvidos ela venha de uma forma clara e justa", disse o técnico.

Apesar das críticas, Tite disse que a seleção jogará para conquistar a Copa América, independente de considerar inoportuna sua realização, com o Brasil sendo hoje o epicentro da pandemia na América do Sul, com atraso na vacinação da população e com mais mortes pela covid-19.

Depois de ter ultrapassado a marca de 484 mil mortos na sexta-feira, o Brasil registrou 2.037 mortes pela covid-19 neste sábado. Com a atualização dos dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o país chegou a 486.272 mortes. Já o número de infectados está em 17.374.818 , com 78.700 novos casos confirmados nas últimas 24 horas.

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (117.887), Rio de Janeiro (52.927) e Minas Gerais (42.872). As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.679), Acre (1.707) e Amapá (1.756).

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg