Tomador de dinheiro público, Hang é pego na mentira


O empresário bolsonarista Luciano Hang dizia que nunca contraiu empréstimo junto a bancos públicos (Reprodução)

O empresário Luciano Hang que teve as contas do Twitter e Facebook derrubadas nesta sexta-feira (24) por disseminação de notícias falsas (fakenews) e ofensas ao Supremo Tribunal Federal (STF), foi desmascarado publicamente por ter afirmado no passado que nunca contraiu um empréstimo sequer junto a bancos públicos durante os governos do PT. Uma reportagem do Metrópoles, que se valeu da Lei de Acesso à Informação, conseguiu abrir o que bolsonaristas como ele chamam de "caixa-preta do BNDES" para descobrir aquilo que Hang dizia ser "fakenews", ou seja, que ele contraiu empréstimos sim, e não foram poucos. O dono da Havan fez nada menos que 55 empréstimos com o banco estatal, no valor total de R$ 72 milhões, atualizados pelo IPCA.

Publicamente Luciano Hang é um dos empresários mais identificados com o bolsonarismo que chegou até ameaçar de demissão seus "15 mil empregados" caso Jair Bolsonaro não fosse eleito. Em suas falas e postagens nas redes sociais, ele se apresenta como um intransigente defensor do livre mercado e contra a interferência do Estado na economia.

A revelação de que ele se beneficiou do BNDES, uma ferramenta estatal de financiamento econômico para fazer crescer sua empresa, caiu como uma bomba nas redes sociais e muitos memes já foram disparados. Hang ou "Véio da Havan", como é conhecido, tem 147 lojas em 18 estados do País.

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif
Toda Palavra 076 - p 4-5.jpg

Leia a versão digital da edição impressa do TP