top of page

TSE condena Bolsonaro a pagar R$ 20 mil por reunião com embaixadores


Jair Bolsonaro e Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (Foto: Isac Nóbrega/PR)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade, condenar o presidente Jair Bolsonaro (PL) a pagar uma multa de R$ 20 mil por usar uma reunião com embaixadores no Palácio da Alvorada em 18 de julho como propaganda eleitoral antecipada irregular. Na oportunidade, Bolsonaro utilizou a estrutura do governo e apresentou a diplomatas de mais de 50 países uma visão distorcida sobre as urnas eletrônicas e repetiu suspeitas já desmentidas por órgãos oficiais, colocando em dúvida, sem apresentar provas, a lisura do sistema eleitoral brasileiro.


De acordo com a ministra Maria Claudia Bucchianeri, relatora das ações, durante a reunião de julho com embaixadores, Bolsonaro divulgou fatos sabidamente inverídicos a respeito do sistema eletrônico de votação e apuração dos votos.


"A deslegitimação do sistema, a partir da construção de fatos falsos, forjados para conferirem estímulos artificiais de endosso a opiniões pessoais, é comportamento que já não se insere no legítimo direito à opinião, dúvida, crítica e expressão, descambando para a manipulação desinformativa, via deturpação fática", disse ela.


A ministra ressaltou que "é lícito questionar, criticar, duvidar e repensar" o sistema eleitoral, assim como "desejar modelos diferentes".


Ao todo, foram quatro ações apresentadas contra Bolsonaro por causa dessa reunião, que contou com transmissão da TV Brasil. Em agosto, o ministro Mauro Campbell, do TSE, determinou que a TV Brasil, empresa controlada pelo governo federal, e as redes sociais retirassem do ar o vídeo da reunião.



300x250px.gif
728x90px.gif