TSE manda tirar do ar vídeo com fake news sobre e-Título


A deputada bolsonarista Carla Zambelli (PL-SP), que dissemina o vídeo fake (Foto: Paulo Sérgio/Câmara Deputados)

Mal começou a campanha eleitoral, e a campanha de desinformação tomou dianteira. O ministro Raul Araújo, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou na noite de quinta-feira (25) a diversas redes sociais a remoção de publicações que promovem desinformação sobre o e-Título, aplicativo da Justiça Eleitoral que serve para verificar a autenticidade do título de eleitor digital.


A decisão atende a um pedido da coligação Brasil da Esperança, do candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva. As publicações foram feitas por uma das principais aliadas fieis do presidente Jair Bolsonaro (PL), a deputada Carla Zambelli (PL-SP) e também pelo candidato a deputado Darcio Bracarense (PL-ES), além de outros bolsonaristas.


No material publicado, os disseminadores do vídeo fake news afirmam que o QR Code do aplicativo E-Título contabilizaria automaticamente votos para o candidato Lula.


O ministro ordenou que as redes sociais Twitter, Facebook e Gettr removam as postagens num prazo de 24 horas.


A mentira foi compartilhada pela primeira vez no último dia 17. O usuário Raimundo João Marinho Dutra, também representado na ação, levantava a suspeita infundada de fraude.


Araújo destacou que a própria Justiça Eleitoral, por meio do portal Fato ou Boato, e também diversos serviços de checagem já se esforçaram em esclarecer a informação falsa, mas que ainda assim continua a ser disseminada por pessoas com cargo eletivo.


O ministro ressaltou que o QR Code do e-Título serve somente para a autenticação do documento e “não substitui a urna eletrônica, não é usada para contabilizar votos e não interfere na votação em si”, frisou Araújo. “As publicações impugnadas, de fato, são manifestamente inverídicas, resultando, em alguma medida, repercussão ou interferência negativa no pleito, o que é objeto de preocupação da Justiça Eleitoral”, acrescentou ele.


Mentira disseminada

De acordo com a Rede Brasil Atual, diversas agências de checagem desmentiram a farsa evidente, mas, ainda assim, Darcio Bracarense postou um vídeo insuflando a narrativa de falta de confiabilidade no sistema eleitoral.


Logo em seguida, Zambelli compartilhou o vídeo do seu correligionário, impulsionando o seu alcance. Na publicação, Bracarense reconhece que o QR Code não transferiria votos a ninguém. Ainda assim, diz que a Justiça Eleitoral estaria fazendo “campanha antecipada para o Lula”.

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif