TSE reitera a segurança das urnas e desmente fakenews


(Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) voltou a defender neste domingo (1º) as urnas eletrônicas e reforçou que elas são seguras e transparentes, ao contrário do que apregoa o presidente Jair Bolsonaro diante da sua queda de popularidade nas pesquisas para as eleições de 2022.

Em meio a manifestações de apoiadores de Bolsonaro, neste domingo, pedindo voto impresso, o tribunal publicou em rede social um vídeo em que afirma que os votos são auditáveis e impressos assim que a urna eletrônica é encerrada.

A publicação do tribunal usou uma linguagem popular para esclarecer que as urnas eletrônicas são também auditáveis.

"Você sabia que os votos já são impressos?", questionou o TSE, e explicou em seguida: "qualquer eleitor pode fazer a contagem de votos por conta própria. Isso é possível com o BU, o famoso Boletim de Urna. Faça sua própria auditoria! Compare os BUs que você escaneou com os publicados no site do TSE”.

O TSE, sob a presidência do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, vem realizando um trabalho de esclarecimento sobre as urnas eletrônicas após ataques de Bolsonaro.

Em transmissão ao vivo na quinta-feira (29), o presidente usou informações falsas (fakenews) para atacar o sistema de votação eletrônica, como vem fazendo desde as últimas pesquisas desfavoráveis a ele, e não apresentou as provas que havia prometido sobre supostas fraudes nas eleições de 2018 que o levaram ao Planalto.

Neste domingo, Bolsonaro voltou a desclassificar a transparência do processo eleitoral brasileiro, dizendo que "eleições democráticas somente com contagem pública de votos".

Confira a seguir o vídeo do Tribunal Superior Eleitoral.




300x250px.gif
728x90px.gif