Tsunami da corrupção abala Tribunal de Justiça do Rio


(Reprodução)

Por determinação da ministra Maria Thereza de Assis Moura, corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), foi iniciada nesta segunda-feira (23) uma inspeção extraordinária nos gabinetes de sete desembargadores e de uma juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), suspeitos de integrarem um esquema de corrupção.

Serão inspecionados os gabinetes dos desembargadores Adriano Celso Guimarães, Cherubin Helcias Schwartz Junior, Guaraci Campos Vianna, Helda Lima Meireles, José Carlos Maldonado de Carvalho, Marcos Alcino de Azevedo Torres e Mario Guimarães Neto e da juíza Roseli Nalin.

Segundo o jornal O Globo, o despacho da ministra Maria Thereza refere-se a supostas vendas de sentenças em favor de empresas do setor de transporte, denunciada pelo ex-presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio (Fetranspor), Lélis Teixeira, através de delação premiada. A fiscalização se estenderá até esta terça-feira.

Em nota, o TJ-RJ declarou que o processo corre em segredo de justiça e que não irá se manifestar sobre o assunto.

300x250px.gif
728x90px.gif