UE diz que financiará e entregará armas para a Ucrânia


(Sputnik/Mikhail Voskresensky)

A União Europeia financiará pela primeira vez a compra e entrega de armas à Ucrânia, anunciou a chefe da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

"Estamos intensificando nosso apoio à Ucrânia", disse von der Leyen neste domingo (27), anunciando uma série de medidas adicionais contra Moscou por sua ofensiva militar em andamento na Ucrânia.

“Pela primeira vez, a UE financiará a compra e entrega de armas e equipamentos a um país sob ataque”, disse ela.

Antes de uma reunião de ministros das Relações Exteriores da UE neste domingo, o chefe de política externa, Josep Borrell, declarou que “outro tabu caiu, o tabu de que a União Europeia não estava fornecendo armas em uma guerra”.

Uma fonte da UE disse à Reuters que o bloco planeja gastar US$ 507 milhões (€ 450 milhões) em armas para a Ucrânia, além de outros US$ 56 milhões (€ 50 milhões) em “itens como suprimentos médicos”.

Borrell disse que a mudança para armar Kiev era necessária porque “vivemos em tempos sem precedentes” e “esta guerra exige nosso engajamento para apoiar o exército ucraniano”.

De acordo com a agência estatal russa RT, a Suécia também anunciou neste domingo que violaria sua política típica de não armar países em conflito ativo, oferecendo-se para enviar equipamentos militares para a Ucrânia.

A UE também anunciou que fecharia seu espaço aéreo para todas as companhias aéreas russas e aeronaves de propriedade ou controladas ou registradas da Rússia.

UE proíbe RT e Sputnik

A União Europeia decidiu proibir as transmissões das agências RT e Sputnik nos países do bloco. Ursula von der Leyen criticou os meios de comunicação russos.

"Em mais um passo sem precedentes, proibiremos na UE a máquina de mídia do Kremlin. As estatais Russia Today e Sputnik, assim como suas subsidiárias, não poderão mais espalhar suas mentiras para justificar a guerra de Putin e semear divisão em nossa união", disse ela.

Em resposta, a agência Sputnik sugeriu que a UE também poderia proibir a Internet.

"Aconselhamos a União Europeia a não parar em meias medidas e apenas banir a Internet completamente", retrucou a agência de notícias. A RT ainda não se pronunciou sobre a medida da UE.

O presidente russo, Vladimir Putin, lançou um ataque militar à Ucrânia na última quinta-feira (24), dizendo que era a única maneira de proteger as recém-reconhecidas repúblicas de Donbass e garantir que a Rússia não fosse ameaçada pela OTAN do território ucraniano.


Com a RT e Sputnik

300x250px.gif
728x90px.gif