Um terço da população tem menos de R$ 500 para passar o mês


(Fotos Públicas)

Quase a terça parte da população brasileira tem menos de meio salário mínimo para passar o mês. É o que revela o Mapa da Nova Pobreza, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas Social (FGV Social).

De acordo com o levantamento, o contingente de pessoas com renda domiciliar per capita de até R$ 497 mensais atingiu 62,9 milhões de pessoas em 2021, o que corresponde a 29,6% da população. São 9,6 milhões de novos pobres em relação aos que haviam em 2019 - quase o tamanho da população inteira de Portugal (10,3 milhões).

“A pobreza nunca esteve tão alta no Brasil quanto em 2021, desde o começo da série histórica da PNADC [Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua] em 2012, perfazendo uma década perdida”, explica o economista Marcelo Neri, diretor da FGV Social.

Santa Catarina foi a unidade da federação com a menor taxa de pobreza em 2021 (10,16%). Já a maior proporção de pobres estava no Maranhão (57,90%).

As únicas quedas de pobreza de 2019 a 2021 foram observadas em Tocantins (0,95 pontos percentuais) e Piauí (0,03 pontos percentuais).

Segundo a FGV, o objetivo da pesquisa é avaliar a evolução espacial da pobreza nos últimos anos no Brasil, considerando os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Anual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif