top of page

União Africana é aceita como membro pleno do G20



O Ministério das Relações Exteriores da Índia chamou essa decisão como o principal resultado da cúpula / Foto: TV BRICS

Neste sábado, 9 de setembro, o Primeiro-Ministro da Índia, Narendra Modi, em seu discurso de abertura da cúpula do G20 em Nova Délhi, expressou condolências pela perda de vidas no terremoto no Marrocos: "Antes de iniciarmos o G20, quero expressar minhas condolências pela perda de vidas no terremoto do Marrocos. Oramos pela rápida recuperação de todas as pessoas afetadas. A Índia está pronta para oferecer toda a assistência possível ao Marrocos neste momento difícil." O país foi atingido por um terremoto de 6,9 graus na escala Richter, com 632 pessoas sendo vítimas do desastre.


Expressando profundo lamento pelas vítimas e sobreviventes do terremoto no Marrocos, Modi lembrou que a Índia, durante sua presidência do G20, sempre apoiou a inclusão do Sul Global, principalmente das nações africanas, no bloco de votação.


O primeiro-ministro convidou formalmente a União Africana a se tornar um membro permanente do G20.


"A Índia ofereceu à União Africana a condição de membro permanente do G20. Acredito que todos nós concordamos com essa proposta"
Narendra Modi Primeiro-Ministro da Índia

Modi também convidou o Presidente da União Africana (UA), Azali Assoumani, para ocupar seu lugar como membro do G20.


A inclusão da União Africana no G20 foi uma das principais prioridades da Índia na cúpula do G20 sob sua presidência. A proposta de incluir a União Africana no G20 foi apresentada pelo primeiro-ministro indiano em junho deste ano. O Ministério das Relações Exteriores da Índia já considerou a decisão como o principal resultado da cúpula.


Além disso, o primeiro-ministro indiano pediu união para enfrentar melhor os desafios contemporâneos e lidar com a falta de confiança que existe atualmente no mundo como resultado da crise de saúde causada pela pandemia.


Ele também pediu um foco na gestão de alimentos, combustíveis e fertilizantes, no combate ao terrorismo e na segurança cibernética, bem como na segurança da saúde, da energia e segurança hídrica.


A Índia, ao presidir o G20, priorizou a gestão do desenvolvimento das pessoas para garantir resultados para o benefício de todos, portanto, enfatizou o chefe de Estado, a presidência do bloco pelo país do sul da Ásia tornou-se um símbolo de inclusão.


"Mais de 200 reuniões (durante a presidência indiana do G20) foram realizadas em mais de 60 cidades em todo o país", observou Modi.


A 18ª cúpula do G20 conta com a participação de mais de 30 chefes de estado e altos funcionários da União Europeia e de países convidados, além de 14 chefes de organizações internacionais, segundo informa ANI, o parceiro da rede TV BRICS.


A Índia sediará a cúpula dos líderes do G20 na capital, no recém-inaugurado Salão Bharat Mandapam, nos dias 9 e 10 de setembro.


Vale lembrar que o país assumiu a presidência do G20 em 1º de dezembro do ano passado. Esta é a primeira vez que a cúpula do G20 é presidida pela Índia.


Fonte: TV BRICS

Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page