Vídeo: árbitro PM saca arma e dá coronhadas em jogadores


Árbitro sacou arma e apontou para jogadores (Reprodução/Rádio Tamandaré on-line)

Uma partida de futsal amadora na Praia do Cassino, no município de Rio Grande-RS, quase acabou em tragédia, quando o árbitro sacou uma arma, deu coronhadas e ameaçou a vida de jogadores. A ocorrência, transmitida ao vivo pelas redes sociais, foi registrada na Polícia Civil, que investiga o caso. Identificado como um policial militar, o árbitro não teve o nome divulgado.

Segundo a delegada Lígia Marques Furlanetto, diretora da Delegacia de Polícia Regional de Rio Grande, o árbitro ainda registrou uma ocorrência de ameaça contra uma das vítimas agredidas por ele.

"Tem um termo circunstanciado instaurado para apurar o crime de lesão corporal. Eu confirmo que foi um policial militar que teria desferido as agressões. Ele registrou uma ocorrência de ameaça contra a vítima de lesão corporal", disse a delegada.

No vídeo (assista no final da matéria) é possível observar o jogador da equipe É Us Guri, que teria sido expulso, reclamando do árbitro do lado de fora da quadra. Uma testemunha ouvida pelo g1 diz que o juiz foi ofendido pelo jogador.

Na sequência, já após o final da partida, o jogador entra na quadra e vai em direção ao árbitro, que puxa o revólver, dá coronhadas nele e em outro colega de equipe e aponta a arma em direção aos outros.

"Ele chamou o nosso atleta que estava fora de campo. No que o nosso atleta chegou perto da grade, ele deu um soco. Isso fez com que todos nós fôssemos ponderar", relata outra testemunha, um dos integrantes da equipe, que prefere não ser identificado.

O jovem afirma que não houve ameaça contra o árbitro e que não havia ninguém armado entre os jogadores. Os integrantes da equipe temem sofrer represálias em razão do ocorrido.

"Não teria nem porque querer briga com o juiz, porque a gente ganhou a partida. A invasão de campo se deu por conta dele ter agredido o nosso colega na tela. Mas a gente não tocou nenhum dedo nele", conta um membro do time.

O caso, ocorrido na última quarta-feira, será agora investigado pela 3ª Delegacia de Polícia de Rio Grande.


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg