Vídeo: pedido de socorro de cacica Xipaia afugenta invasores


Garimpeiros ilegais tentaram invadir o Território Indígena Xipaia, no município de Altamira (PA), e teriam fugido após o apelo desesperado por socorro publicado pela cacica Juma Xipaia, da aldeia Kaarimã, ter viralizado nas redes sociais nesta sexta-feira (14). A cacica temia que, pelo forma que os garimpeiros abordaram seu pai, o encontro entre os guerreiros das aldeias xipaias com os invasores pudessem terminar em um banho de sangue. "Guerreiros das outras aldeias estão descendo com o objetivo de tentar um diálogo, para que eles [os invasores] saiam do território, mas nós estamos com medo”, disse.

Segundo Juma Xipaia, os invasores chegaram em uma balsa de dois andares e carregada com grande quantidade de "equipamentos pesados". Ela também acionou o Ministério Público Federal, a Funai e outros órgãos de segurança para que reprimissem os invasores.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) informou que deflagrou uma operação para proteger o Território Indígena Xipaia.

“Recebemos a denúncia na noite de ontem [14] e imediatamente começamos os preparativos ainda de madrugada para o envio das equipes que protegerão essa área em que está a aldeia Karimãa, da etnia Xipaia”, informou o chefe do Serviço de Repressão a Crimes Contra Comunidades Indígenas, Paulo Teixeira, que é delegado da Polícia Federal (PF). A operação conta com o envolvimento de agentes da PF e da Força Nacional de Segurança.

O delegado da PF informou que, ao menos até agora, não há relatos de conflitos graves entre índios e forasteiros.

A assessoria da Fundação Nacional do Índio (Funai) informou que sua unidade na região acompanha a situação e que está em permanente contato com as forças de segurança.

Em outro vídeo, a cacica relata que os homens não foram mais encontrados no local e que o Ibama realiza uma operação na região, mas ressalta que segue o temor na comunidade de que eles retornem.

"É uma balsa muito grande, de dois andares. Tem jet-skis que podem levar até 6 pessoas. Eles têm muitos transportes para fugir. São equipamentos muito grandes e caros. Então, com certeza, há um grande financiador por trás disso. Não são quaisquer garimpeirozinhos, não. São potentes. Então, a gente pede agilidade e apoio das autoridades e órgãos de Justiça, para que encontrem esses garimpeiros, porque a gente não sabe se eles vão voltar, que tipo de armas eles têm… não sabemos sequer onde eles estão agora", disse Juma num vídeo publicado em sua rede social.


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg