top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Vacinas doadas à África têm validade curta


(Reprodução)

A maioria das doações de vacinas anticovid-19 à África "tem sido feita com pouca antecedência e com vida útil curta", afirmou um conjunto de importantes organizações de saúde pública do continente.

"Isso tornou extremamente difícil para os países planejar campanhas de vacinação e aumentar a capacidade de absorção", acrescentam em comunicado conjunto o African Vaccine Acquisition Trust (Avat), os centros africanos de Controle e Prevenção de Doenças, reunidos no Africa CDC, e a Covax -- o mecanismo internacional, criado pela Aliança para as Vacinas (Gavi) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para permitir a 92 países e territórios desfavorecidos receberem gratuitamente vacinas financiadas por países ricos.

Até agora, mais de 90 milhões de doses doadas foram entregues ao continente por meio da Covax e do Avat. Incluindo as vacinas recebidas em resultado de acordos bilaterais, no total, são 227 milhões de vacinas enviadas ao continente, frente aos 8,4 bilhões de doses em todo o mundo. Ou seja, muito pouco em proporção com a população de 1,390 bilhão do continente, fazendo com que as percentagens de população vacinada sejam muito baixas comparadas com as dos países desenvolvidos, que reservaram para si milhões de vacinas em excesso do que necessitavam para vacinar suas populações.

Para alcançar taxas de cobertura mais elevadas em todo o continente africano, e para que as doações sejam uma fonte complementar ao abastecimento por meio de compras, "essa tendência tem de mudar", afirmam as organizações no comunicado no momento em que se intensificam as preocupações com a disseminação de uma nova variante do coronavírus, batizada como ômicron, que foi identificada pela primeira vez no sul do continente.

"Os países precisam de um abastecimento previsível e confiável. Ter de planejar em curto prazo e assegurar a absorção de doses com vida útil curta aumenta exponencialmente a carga logística sobre os sistemas de saúde que já se encontram sobrecarregados", alertam.

"Além disso, o tipo de fornecimento feito utiliza capacidades - recursos humanos, infraestrutura, cadeias de frio - que poderiam ser direcionadas para uma implementação bem-sucedida e sustentável a longo prazo", acrescenta o texto.

Para as organizações, o fato de os imunizantes chegarem ao continente com prazos de validade curtos "pode ter repercussões, em longo prazo, na confiança nesses produtos.

As doações para Covax, Avat e países africanos "devem ser feitas de forma a permitir que os países mobilizem eficazmente os recursos internos, em apoio à implementação, e permitir o planejamento a longo prazo para aumentar as taxas de cobertura. Por isso, as instituições pedem à comunidade internacional, em particular aos países doadores e fabricantes, para que se "comprometam com esse esforço".

Previsibilidade, estabelecimento de objetivos, prazos de validade das vacinas adequados - com um "mínimo de dez semanas" -, avisos prévios de "não menos de quatro semanas", tempo de resposta e fornecimento, além das vacinas, de todos os acessórios essenciais para assegurar a sua rápida absorção, como seringas, são recomendações feitas aos doadores e fabricantes.

China oferece 1 bilhão de doses

O presidente da China, Xi Jinping, disse nesta segunda-feira (29) que o país oferecerá 1 bilhão de doses de vacinas contra a covid-19 a países africanos e incentivará empresas chinesas a investirem cerca de US$ 10 bilhões na África nos próximos três anos.

A promessa de doses adicionais da vacina - além de quase 200 milhões que a China já forneceu ao continente - foi feita em discurso por meio de um vídeo na abertura do Fórum de Cooperação China-África. Xi disse também que será criado um centro transfronteiriço China-África para fornecer às instituições financeiras africanas uma linha de crédito de US$ 10 bilhões, sem dar detalhes adicionais.

A África é uma das principais fontes chinesas de importação de petróleo bruto e minerais. Elas deverão chegar a US$ 300 bilhões nos próximos três anos, disse o Chefe de Estado chinês, acrescentando que os dois lados vão manter cooperação em áreas como saúde, inovação digital, promoção comercial e desenvolvimento verde.

Comments


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page