Varíola dos macacos: Argentina registra 1º caso na AL


(Reprodução/OMS)

O primeiro caso de varíola dos macacos na América Latina foi registrado na Argentina, segundo informações dos jornais locais Clarín, El Litoral e Diario Hoy. O paciente estava vindo da Espanha quando apresentou sintomas, como pústulas em diferentes partes do corpo e febre, e testou positivo para a doença dias depois de regressar a Buenos Aires em 16 de maio.

Em comunicado, o Ministério da Saúde argentino informou que o paciente estava em bom estado geral e em isolamento, e as pessoas com quem teve contato até então foram submetidas a um "rigoroso controle clínico e epidemiológico".

Até agora, vários países da Europa, Estados Unidos e Austrália já relataram casos da doença, endêmica na África, que está causando um surto internacional, com mais de 200 casos confirmados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nesta sexta-feira, a diretora da OMS de Preparação Global para Riscos Infecciosos, Sylvie Briand, disse que é prioridade conter a doença em países não endêmicos, o que pode ser alcançado por meio de ações rápidas.

A varíola dos macacos, normalmente uma infecção viral leve, é endêmica em países africanos, mas sua disseminação para países não endêmicos, como na Europa e nos Estados Unidos, levantou preocupações.

Sylvie afirmou que há uma janela de oportunidade para evitar maior disseminação e pediu à população em geral que não se preocupe, pois a transmissão é muito mais lenta do que a de outros vírus, como o novo coronavírus.

"Investigação de casos, rastreamento de contatos, isolamento em casa serão as melhores apostas", disse Rosamund Lewis, chefe do secretariado de varíola da OMS.


Com informações da Agência Sputnik

300x250px.gif
728x90px.gif