Verdes protestam por mortes em Brumadinho 

O Partido Verde fez uma manifestação, nesta terça-feira (25/1), no Rio, para lembrar os três anos da tragédia de Brumadinho (MG). O protesto aconteceu na Cinelândia, quando os verdes criticaram a Vale, pelo rompimento de barragens, e o governo federal, pela falta de fiscalização no setor de mineração e o estímulo ao garimpo ilegal.

Foto: AC Junior / Divulgação

"Somos solidários a cada vítima e pessoa atingida nas tragédias ambientais. Agora, na pandemia, vimos esse desgoverno, sempre indiferente à ciência, passar a boiada para destruir os órgãos de controle ambiental, em prol do desmatamento, da grilagem e do garimpo ilegal, inclusive em terras indígenas. Não esqueceremos toda essa desumanidade e ganância", disse Roberto Rocco, da direção nacional do PV, antes de sujar o corpo de lama no protesto, perto do almoço, no mesmo horário em que rompeu a barragem de Córrego do Feijão há três anos. 


Segundo ele, o PV também seguirá cobrando pela responsabilização da Vale em relação ao rompimento, que matou 272 pessoas. Rocco criticou a impunidade e explicou que, com a vacinação, os verdes voltam às ruas na luta contra as agressões ambientais e o aquecimento global, a favor da sustentabilidade e da saúde do planeta.


Presente em mais de cem países, o PV brasileiro completou 36 anos, no dia 17.


"Vidas e natureza foram drasticamente ceifadas, em Brumadinho, em nome do lucro e da exploração do rico patrimônio brasileiro. Seis anos atrás, a tragédia na também mineira Mariana. Infelizmente o risco continua, inclusive com a mineração clandestina sendo estimulada pelo desgoverno genocida", completou a presidente do PV-RJ, Carla Piranda.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg