Vereador bolsonarista exibe arma na Câmara de Niterói


A pistola aparece sobre a mesa do vereador (e) ao receber o deputado Carlos Jordy no gabinete / Foto: redes sociais

Em apenas quatro dias de mandato, o vereador bolsonarista Douglas Gomes (PTC) infringiu o Regimento Interno da Câmara Municipal de Niterói ao exibir uma arma de fogo dentro do seu gabinete. A foto que o apresenta sentado de frente para o deputado federal Carlos Jordy (PSL), mostrando sobre a mesa uma pistola ao lado de um celular e de um notebook, foi postada em seu perfil do Twitter na segunda-feira, 4 de janeiro.

A imagem foi parar também no Twitter de Jordy. Na postagem em que Douglas Gomes anuncia ter recebido a visita do deputado para discutir “formas de impedir o PL 278/2020, que impõe a vacinação obrigatória à população niteroiense”, não está claro se a arma pertence a ele ou a Jordy, que exerceu por dois anos o cargo de vereador na cidade e, portanto, também deve conhecer o Regimento Interno da Câmara de Niterói.

O artigo 285 do regimento é claro ao proibir o porte de arma por qualquer pessoa - exceto policiais - nas dependências da Câmara Municipal: “No edifício da Câmara Municipal é proibido o porte de armas por qualquer pessoa, inclusive Vereadores. Parágrafo único. Excluem-se da proibição constante deste artigo os elementos do corpo de policiamento legalmente habilitados.” Por ironia factual, o Diário Oficial da Câmara de Niterói desta quarta-feira, 6, publica a indicação de Douglas Gomes para ocupar o cargo de vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da casa.


As duas versões da foto

Existem, circulando nas redes sociais, duas versões da mesma foto. Nas imagens publicadas nos perfis de Douglas e de Jordy no Twitter, a arma aparece sobre a mesa. Contudo, a postagem feita no Facebook de Carlos Jordy mostra o mesmo cenário, mas a arma não está sobre a mesa, sugerindo que durante a sessão de fotos foi tomada a decisão de expor a pistola com a finalidade de exibí-la nas redes sociais.


Na postagem da esquerda, feita no Facebook de Carlos Jordy, a arma ainda não aparecia. No Twitter de Douglas Gomes, à direita, a pistola se encontra sobre a mesa, levando a crer que foi colocada intencionalmente para ser exibida nas redes sociais


Comissão de Ética e ameaça

Em ofício encaminhado na tarde desta quarta-feira ao presidente da Câmara, Mílton Cal, o líder do PSOL, Paulo Eduardo Gomes, denuncia que “há parlamentares violando o Regimento Interno da Câmara Municipal de Niterói, portando ou permitindo que portem armas de fogo no interior da sede do parlamento, dando publicidade a esta prática ilegal nas redes sociais e expondo desta forma todos os membros deste Poder Legislativo”.

Após reportar os fatos e revelar a foto exibida nas redes sociais, Paulo Eduardo pede que, tão logo seja instalada a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, “esta promova o adequado trabalho de apuração dos fatos acima narrados, nos termos da Resolução 3049/2014”.

No ofício, Paulo Eduardo também pede que seja “apurada e combatida” a intenção revelada por Douglas Gomes em sua postagem no Twitter de buscar “formas para impedir o PL 278/2020, que impõe a vacinação obrigatória à população niteroiense”.

“A postagem, com referência a um Projeto de Lei de minha autoria e aprovado por unanimidade por esta Casa, com a arma ao lado dos parlamentares, pode ser interpretada como uma AMEAÇA”, sinaliza o vereador do PSOL.


Visivelmente alterado, Douglas foi dominado com ajuda vários PMs ao ser preso em Charitas / Reprodução de vídeo

Campanha negacionista

A intenção de combater a vacinação da população de Niterói contra o vírus da covid-19 é coerente com a pregação negacionista do vereador bolsonarista. Antes mesmo do início da campanha eleitoral, Douglas Gomes ganhou destaque na imprensa ao ser preso pela Polícia Militar no dia 19 de maio, na praia de Charitas, tentando liderar uma carreata ilegal contra as medidas de distanciamento social adotadas àquela época pela prefeitura de Niterói como forma de combater a epidemia de coronavírus na cidade, conforme publicado pelo TODA PALAVRA.

Visivelmente alterado e gritando repetidamente “homens justos cumprem ordens justas”, ele precisou ser dominado e imobilizado por vários homens da PM para poder ser colocado dentro de uma viatura policial e levado à delegacia. Gomes é o único representante bolsonarista eleito em Niterói no ano passado, com o apoio de Carlos Jordy, que não conseguiu lançar sua candidatura a prefeito pelo PSL.

Com a indicação para prefeito vetada pelo seu partido, Jordy lançou a candidatura de um desconhecido Alan Lyra (PTC), que foi o terceiro colocado no pleito, atrás do candidato do PSOL, Flávio Serafini, com menos de 10% dos votos. Axel Grael, do PDT, foi eleito no primeiro turno com mais de 62% dos votos.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também:

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle