Youtubers bolsonaristas apagaram mais de 3 mil vídeos


Apagando pistas: blogueiro Allan Santos, dono do Terça Livre TV, no YouTube, apagou 272 vídeos (Reprodução)

Ativistas radicais que têm canais de apoio ao presidente Jair Bolsonaro e estão sendo investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no inquérito das fakenews já retiraram do YouTube 3.127 vídeos desde o início de maio. A debandada coincide com o início dos cumprimentos dos mandados de prisão e de busca e apreensão pela Polícia Federal determinados pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF. O alvo são os formadores de opinião que produzem e disseminam notícias falsas e ofensas contra as instituições e a favor de golpe militar, assim como seus respectivos financiadores.

O levantamento dos 3.127 vídeos apagados no Youtube foi feito pela empresa Novelo, de análise de dados. A empresa informa que a média de vídeos retirados no período do ano passado foi de apenas 391 peças dos 81 canais acompanhados pela pesquisa. Em maio, o número de vídeos suprimidos no YouTube saltou para 1.112 e em junho, 2.015 atrações.

O canal que escondeu mais vídeos, e também um dos mais radicais, foi o Gigante Patriota, seguido do Terça Livre TV, do blogueiro Allan Santos, que também já foi avo de busca e apreensão em seus endereços, e Foco do Brasil. Somente no domingo, desapareceram 1.300 vídeos do Gigante Patriota, que agora utiliza novo nome. Allan Santos ocultou 272 vídeos do Terça-Livre, em junho. As informações são do colunista Chico Alves, no UOL.

Além de apoio ao presidente Bolsonaro, o radicalismo também rende dinheiro no YouTube. Quanto mais visualizações conseguem em seus canais, mais esses youtubers arrecadam.

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif