Zé Ramalho é 4º cantor a deixar o disco de Sérgio Reis


O cantor Sérgio Reis, investigado por convocar atos antidemocráticos em defesa de Bolsonaro (Reprodução)

Depois de Maria Rita, Guilherme Arantes e Guarabyra anunciarem na semana passada que não participarão do novo disco de Sérgio Reis, foi a vez do cantor Zé Ramalho anunciar neste domingo (22) através de sua editora, Avôhai Music, que não participará mais do álbum do cantor sertanejo, que convocou atos antidemocráticos em defesa do presidente Jair Bolsonaro. "A gravação perdeu o sentido e tanto o compositor quanto sua editora não autorizarão a utilização da obra", diz a nota. Ele havia gravado como convidado de Sérgio Reis a música "Admirável gado novo" que seria incluída no novo projeto.

Ainda de acordo com a nota, a editora e o cantor solicitaram ao escritório de Reis que não "utilize o fonograma de forma alguma".

Na quinta-feira (19), Sérgio Reis foi um dos alvos de busca e apreensão em operação da Polícia Federal. Ele é investigado juntamente com o deputado federal bolsonarista Otoni de Paula (PSC-RJ), o cantor sertanejo Eduardo Araújo e outras nove pessoas, segundo a PF, por "incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”.

A ação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, a pedido da Procuradoria-Geral da República. Moraes afirmou que os investigados pretendem abusar "dos direitos de reunião, greve e liberdade de expressão", "inclusive atuando com ameaça de agressões físicas". Na decisão, Moraes determina que os investigados fiquem impedidos de circular até um quilômetro de distância da Praça dos Três Poderes, onde o grupo planejava realizar protestos contra o STF no dia 7 de setembro.

300x250px.gif
728x90px.gif