Zuckerberg bloqueia Trump e diz que ele incita insurreição


(Reprodução)

As contas do presidente norte-americano, Donald Trump, no Facebook e no Instagram, deverão permanecer bloqueadas por, pelo menos, duas semanas, afirmou nesta quinta-feira (7) o empresário Mark Zuckerberg.

Em nota divulgada no início da tarde, o fundador do Facebook argumentou que os "chocantes eventos" das últimas 24 horas nos Estados Unidos demonstraram claramente que o atual chefe de Estado americano pretende usar seus últimos dias na Casa Branca para sabotar a transição de poder para seu sucessor eleito, Joe Biden.

​Segundo Zuckerberg, a decisão de remover publicações feitas na quarta-feira (6) por Trump em meio ao caos verificado em Washington foi no sentido de evitar uma escalada nos conflitos, uma vez que tais posts teriam o potencial e, talvez, a intenção, de provocar mais violência.

"Nos últimos anos, permitimos que o presidente Trump usasse nossa plataforma de acordo com nossas próprias regras, às vezes removendo conteúdo ou rotulando suas postagens quando violavam nossas políticas. Fizemos isso porque acreditamos que o público tem direito ao mais amplo acesso possível ao discurso político, mesmo ao discurso controverso. Mas o contexto atual agora é fundamentalmente diferente, envolvendo o uso de nossa plataforma para incitar uma insurreição violenta contra um governo eleito democraticamente", disse o presidente do Facebook.

E ainda acrescentou: "Acreditamos que os riscos de permitir que o presidente continue a usar nossos serviços durante esse período são simplesmente grandes demais. Portanto, estamos estendendo o bloqueio que colocamos em suas contas do Facebook e Instagram indefinidamente e por pelo menos as próximas duas semanas, até que a transição pacífica de poder seja concluída."

Nancy Pelosi: '25ª Emenda'

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, pediu a destituição de Donald Trump, antes do final de seu mandato.

De acordo com Pelosi, Trump cometeu "ações subversivas" e deve ser removido de acordo com a 25ª emenda à Constituição dos EUA sobre a incapacidade do presidente de cumprir seus deveres.

"Eu me juntei ao líder democrata do Senado e pedi ao vice-presidente [Mike Pence] que removesse esse presidente invocando imediatamente a 25ª emenda", disse Pelosi.

"Nos próximos 13 dias, este homem perigoso pode causar ainda mais danos ao nosso país e atacar a nossa democracia", acrescentou.

A chefe da Câmara disse que pretende perguntar a cada membro da administração, incluindo aqueles que são mais leais a Trump, se eles estão prontos para apoiar o chefe de Estado durante os 13 dias restantes antes da posse de Joe Biden.

"Chefe do Departamento de Estado [Mike] Pompeo, você está com este presidente? Chefe do Tesouro [Stephen] Mnuchin, ministro da Defesa, secretário da Defesa em exercício [Christopher Miller], procurador-geral [William] Barr? Vocês apoiam a presidência de Donald Trump depois do que aconteceu ontem? Precisamos perguntar a cada membro do gabinete se eles apoiam essas ações e se estão prontos para permitir que este homem perigoso comande o país", disse Pelosi.

Pelosi destacou que "se o vice-presidente e o gabinete não agirem, o Congresso pode estar pronto para avançar no caminho do impeachment".

E acrescentou que Donald Trump é "uma pessoa muito perigosa que não pode ocupar o cargo" e que o presidente "deve ser responsabilizado".


Com a Sputnik

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3