Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Eduardo Paes tem bens bloqueados e é réu pela 3ª vez


Ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM)

Líder nas pesquisas para a Prefeitura do Rio, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM-RJ) teve seus bens bloqueados pela Justiça do Rio de Janeiro nesta terça-feira (20), juntamente com seu ex-secretário de Transportes, Paulo Roberto Santos Figueiredo, e a Rio Ônibus que somados atingem mais de R$ 240 milhões. O Ministério Público do estado (MP-RJ) acusa os envolvidos por atos de improbidade e irregularidades na licitação e nos contratos de concessão do serviço público de ônibus do município do Rio. Com essa denúncia, Paes se torna réu pela terceira vez.

Também foi determinado o bloqueio de bens de até R$ 511,7 milhões dos consórcios Intersul, Internorte, Transcarioca e Santa Cruz, e das empresas líderes Real Auto Ônibus, Viação Nossa Senhora de Lourdes, Viação Redentor e Expresso Pégaso.

No total, a determinação da 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) é para o bloqueio de mais de R$ 752 milhões dos envolvidos, para que venham servir para ressarcir o município ao final do processo.

O MP-RJ afirma que os contratos teriam sido fraudados para manter um "verdadeiro oligopólio instituído no setor" de transportes da cidade. Os promotores também identificaram a prática de custeio em duplicidade das gratuidades no transporte por ônibus intermunicipais, ora com prejuízos aos cofres públicos do Município ora com a dupla oneração dos usuários pagantes do transporte por ônibus.

Em nota divulgada para a imprensa, a defesa de Eduardo Paes acusa que "o processo baseia-se em relatório feito, por encomenda, pelo vereador Tarcísio (PSOL), adversário político de Eduardo Paes, que se utiliza politicamente da Justiça para prejudicá-lo".

Réu três vezes

Essa é a terceira denúncia apresentada à Justiça em que o ex-prefeito se torna réu. Em março, ele se tornou réu pela primeira vez na Justiça Federal por corrupção passiva, fraude em licitação e falsidade ideológica, por supostos desvios de quase R$ 120 milhões nas obras de construção do Complexo de Deodoro para as Olimpíadas de 2016. Ele foi acusado de ter recebido R$ 10,8 milhões de propina do Grupo Odebrecht

Em 8 de setembro, agentes do Ministério Público Eleitoral do Rio cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito, acusado de crimes de corrupção, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro junto à 204ª Zona Eleitoral.

Líder nas pesquisas

Paes foi prefeito por dois mandatos, até 2016, e lidera a corrida eleitoral, segundo as pesquisas, seguido pelo atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) e a ex-chefe de Polícia Civil, Martha Rocha (PDT), empatados tecnicamente em segundo lugar. Benedita da Silva (PT) vem em terceiro.


Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle