Alunos do GayLussac conversam com refugiada da Gâmbia

Há mais de 20 anos, o Instituto GayLussac integra o Programa de Escolas Associadas à Unesco, assumindo o compromisso de educar para um mundo melhor e mais sustentável. Nesse caminho, a escola oferece a disciplina de Direitos Humanos e Salvaguarda aos alunos do 6º ano, que estudam temas sensíveis como a xenofobia e o racismo. Na última semana, os estudantes tiveram a oportunidade de conversar com Mariama Bah, refugiada da Gâmbia, em um bate-papo virtual.

Bate-papo virtual com refugiada é lição de Direitos Humanos para os jovens estudantes / Divulgação

Encontros como esse permitem um envolvimento mais aprofundado e um olhar mais sensível sobre o mundo que os cerca.


“Ficamos chocadas com o fato dela ter que fugir para ter o direito que todos deveriam ter, que é estudar. E ficamos felizes por ela, agora, estar na universidade”, afirmou uma aluna 6º ano.


Recentemente, a diretora geral da escola, Luiza Sassi, recebeu o Prêmio Vereador Renatinho de Direitos Humanos, na categoria Educação. O reconhecimento, entregue em mãos pelo Secretário de Direitos Humanos de Niterói, é fruto de um desafio constante no cotidiano da escola, que defende uma educação humana e com valores.


300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif