Anvisa decide na segunda se autoriza vacina russa


(Aleksei Maishev/Sputnik)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta sexta-feira (23) que vai realizar duas reuniões extraordinárias na próxima segunda-feira (26) para avaliar processos sobre o enfrentamento da pandemia da Covid-19. A mais aguardada se refere a que vai tratar dos pedidos de importação feitos por estados e municípios da vacina Sputnik V. Os municípios de Niterói e Maricá, que estão suspendendo a aplicação da primeira dose em grupos prioritários por falta de vacinas, dependem dessa liberação para receberem 1,3 milhão de doses já encomendadas da Rússia.

"A data da reunião foi marcada em razão do prazo de 30 dias definido pela Lei, e confirmado pelo STF, para que a Anvisa avalie os pedidos de importação de vacinas para Covid-19 sem registro", explicou a agência.

Na semana passada, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, determinou que a Anvisa decida até o fim deste mês sobre a "importação excepcional e temporária" de doses da Sputnik V.

A decisão do ministro foi uma resposta a uma ação protocolada pelo governo do Maranhão, que diz no processo ter negociado a importação de 4,5 milhões de doses do imunizante.

A Diretoria Colegiada da Anvisa vai tomar a decisão depois de receber dados coletados pelos servidores da agência em viagem para a Rússia. Os inspetores viajaram na sexta (16) e retornam no sábado (24).

Em estudo mais recente sobre a eficácia da Sputnik V, os desenvolvedores analisaram como a vacina se comporta na população em geral, e chegaram ao dado de efetividade de 97,6% de proteção do imunizante. De acordo com o Centro de Pesquisa em Epidemiologia Gamaleya, líder mundial em seu campo, a análise se baseou na situação de 3,8 milhões de vacinados.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

1/3
300x250px - para veicular a partir do di
Leia também: