Boca suja de Bolsonaro contamina internet em Niterói

O show de horrores promovido pelo presidente da República contra a imprensa e adversários, com insultos e ofensas proferidos publicamente, e mais recentemente em escalada vertiginosa, tem sido correspondido em nível igualmente chulo pelos seus seguidores em Niterói, que vêm se utilizando das redes sociais formadas por moradores da cidade para tentar impor suas posições políticas à base de injúrias e agressões pessoais.

Nos últimos dias, Bolsonaro, acossado pelas denúncias na imprensa de gastos do governo de mais de R$ 1,8 bilhão em alimentos, apontou sua meltralhadora de impropérios contra os jornais: "vai pra puta que o pariu" e "é para enfiar no rabo de vocês da imprensa essas latas", disse e repetiu. Em Niterói, seguidores do presidente vêm alimentando seus perfis no mesmo nível: "@pauloeduardogomes_peg e @axelgrael Dois filhos da puta, que tem que ser pegos nas ruas de porrada, alô Niterói” (sic), era uma das mensagens publicadas nos stories da página bolsonarista do Instagram @brasilresistente, de autoria desconhecida.

Alvo dos ataques juntamente com o prefeito Axel Grael (PDT), o vereador Paulo Eduardo Gomes (PSOL) ingressou na semana passada no Ministério Público com uma notícia-crime contra o administrador da página - ainda desconhecido - e contra Rafael S. Campos, que também insulta o parlamentar e o prefeio de Niterói pelas medidas adotadas pela Câmara Municipal e pela Prefeitura na tentativa de garantir a administração da vacina contra a convid-19 em todos os moradores da cidade.

Abaixo, a postagem nos stories da página bolsonarista do Instagram @brasilresistente:

O pano de fundo das ofensas contra Paulo Eduardo e Axel Grael, a campanha contra a obrigatoriedade da vacinação em Niterói, tem no vereador Douglas Gomes (PTC) - único bolsonarista eleito na cidade em 2020 - o seu principal articulador.

Para preparar uma ofensiva do seu grupo político contra o projeto de lei de Paulo Eduardo tornando obrigatória a imunização na cidade, ele se reuniu no início do mês com o também bolsonarista deputado federal Carlos Jordy (PSL) em seu gabinete e fez questão de exibir, para as fotos da reunião que seriam publicadas em suas redes sociais, uma pistola em cima da sua mesa de trabalho, contrariando o Regimento Interno da Câmara de Niterói, que proibe o porte de arma de fogo dentro da sede do legislativo municipal


Ataques ao TODA PALAVRA

A afronta às normas da Câmara pelo vereador novato foi noticiada em primeira mão, com a ênfase que a notícia exigia, pelo TODA PALAVRA, sobretudo porque o episódio, repudiado por vários vereadores, dava margem à interpretação de que a exibição ostensiva de uma pistola dentro de um gabinete parlamentar poderia representar uma tentativa de intimidação à Casa legislativa.

A matéria do jornal repercutiu junto à seção niteroiense da Ordem dos Advogados do Brasil, que também condenou a exibição da arma sobre a mesa do vereador. Irritado com o noticiário, Douglas Gomes, a exemplo de Bolsonaro, preferiu atacar o jornal, a OAB e o vereador Paulo Eduardo Gomes, que, juntamente com o vereador Binho (PDT), pediram à mesa diretora da Câmara a apreciação do comportamento do colega pela Comissão de Ética.

Mas os ataques não ficaram restritos apenas ao jornal. O editor-chefe do TODA PALAVRA, jornalista Luiz Augusto Erthal, também vem sendo alvo de injúrias e ofensas sobretudo em grupos de Facebook com maior presença de militantes bolsonaristas, que demonstram o mesmo desapreço do presidente da República pela liberdade de imprensa e sobretudo pelos jornais independentes.

O próprio Douglas Gomes, em resposta a um comentário insultuoso de uma de suas apoiadoras, caluniou o editor-chefe do TODA PALAVRA, afirmando que ele receberia recursos públicos da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro para agir como militante político. O jornalista é, de fato, funcionário de carreira da empresa que edita o Diário Oficial do Estado, onde ingressou em 1984, ou seja, há 37 anos.

A resposta dada por Erthal no mesmo grupo em que foi vítima da calúnia foi a seguinte:

"Caro vereador Douglas Gomes. Sim, estou na Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro desde 1984 e durante esse longo tempo ajudei a desenvolver naquela empresa projetos jornalísticos dos quais muito me orgulho, como a implantação do D.O. Notícias, por exemplo. O senhor esqueceu de dizer em seu comentário que também esteve por lá há cerca de quatro anos. Não como funcionário de carreira, como eu, mas cumprindo a deplorável missão de colocar na empresa cabos eleitorais e apaniguados políticos do deputado estadual a quem o senhor servia na época, inclusive a sua própria namorada. Por lá passou de forma melancólica, sem deixar qualquer memória de valor. Não respondo à matilha que o segue neste grupo porque é fácil identificar o comportamento histérico das hordas fascista, que não merecem resposta. Mas o senhor é vereador eleito desta cidade e seu comportamento, como homem público, deve ser medido e questionado face à grandeza do cargo que lhe foi confiado nas urnas. Desenvolvo há mais de 20 anos um trabalho editorial reconhecido em Niterói e no Estado do Rio de estímulo à literatura e à memória fluminense; sou membro da Academia Fluminense de Letras e edito há mais de cinco anos, em Niterói, o jornal TODA PALAVRA (www.todapalavra.info), cuja independência é de amplo conhecimento dos meios políticos e culturais da cidade. Não estou filiado a nenhum partido político. Sou essencialmente jornalista - há mais de 40 anos - e sei que meu trabalho, baseado apenas no compromisso com a verdade, pode não agradar a todos. Mas é o que faço por dever de ofício, como a parcela que me cabe na contribuição do jornalismo para o bem da nossa sociedade. Sua acusação de que sou “pago com recurso público para fazer militância política” é grave e leviana. Demonstra, lamentavelmente, que o senhor não está à altura do mandato popular que inicia sob uma saraivada de críticas e questionamentos por parte de dirigentes da Ordem dos Advogados do Brasil e de seus novos pares no histórico plenário Brígido Tinoco. Deploram, todos, a afronta protagonizada pelo senhor aos valores éticos e regimentais do nosso Legislativo. Uma vergonha para uma instituição bicentenária do porte da Câmara Municipal de Niterói, que não poderia deixar de ser registrada pelo TODA PALAVRA."


N.R. - O TODA PALAVRA solicitou à Assessoria de Comunicação da Prefeitura uma posição oficial em relação às ofensas de internautas mencionadas nesta reportagem contra o prefeito da cidade, mas até o fechamento da matéria Axel Grael não havia se manifestado.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também:

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle