Chico Buarque processa deputado bolsonarista por fakenews


O cantor e compositor Chico Buarque processa mais um deputado bolsonarista

Um dos maiores ídolos da música popular brasileira, Chico Buarque, que há muito tempo já perdeu a paciência com as fakenews bolsonaristas, recorreu mais uma vez à Justiça contra seus detratores. O alvo da vez é o deputado bolsonarista Bibo Nunes (PSL-RS) após o parlamentar dizer que o artista recebeu dinheiro público durante o governo do ex-presidente Lula. O cantor e composição de sucessos inesquecíveis como "Geni e o Zepelim" e "Cálice (Cale-se)" já disse mais de uma vez que não é contra a Lei Rouanet, mas nunca usou incentivo em seus projetos. Bibo Nunes é o quinto bolsonarista processado pelo mesmo motivo.

"Chico não quer ganhar dinheiro. Ele quer contribuir com o fim da indústria das notícias falsas", afirmou o advogado do artista, João Tancredo. O relato foi publicado na coluna de Ancelmo Gois.

A cultura representa menos de 2% do total abatido pelo governo em incentivos fiscais através da Lei Rouanet.

Bolsonarismo no alvo

A disseminação de fakenews foi alvo de uma CPI no Congresso, e o Supremo Tribunal Federal (STF) vem investigando os seus financiadores, principalmente por conta das agressões à democracia e à Corte. Ao menos oito deputados bolsonaristas (seis federais e dois estaduais) e um senador são investigados.

Os deputados são Daniel da Silveira (PSL-RJ), Cabo Junio de Amaral (PSL-MG), Carla Zambelli (PSL-SP), Caroline de Toni (PSL-SC), Alê Silva (PSL-MG), Bia Kicis (PSL-DF), General Girão (PSL-RN), Guida Peixoto (PSL-SP), Aline Sleutjes (PSL-PR) e Otoni de Paula (PSC-RJ). O senador Arolde de Oliveira (PSC-RJ) completa a lista.

Embora ainda não seja investigado diretamente, um dos principais alvos do STF é o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho 03 de Jair Bolsonaro.





300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif