Gilmar Mendes acusa chanceler brasileiro de divulgar fakenews


O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acusou o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, de divulgar fakenews, ao discutirem em uma rede social sobre o papel do governo federal no combate à pandemia.

Chanceler do governo Bolsonaro, Araújo publicou na quarta-feira (10) mensagem em inglês criticando uma reportagem do canal de TV norte-americano CNN sobre a situação da pandemia no Brasil, principalmente na parte em que dois comentaristas da emissora falam que "o presidente [Jair Bolsonaro] tem o poder de fazer 'lockdown' mas escolhe não fazer isso".

"A CNN entendeu tudo errado sobre Brasil e Covid", disse Ernesto Araújo na rede social, e continuou, em inglês: "Depois de decisão da Suprema Corte de abril de 2020, governadores - não o presidente - têm, na prática, toda a autoridade para estabelecer e administrar todas as medidas de distanciamento social."

Foi aí que entrou o ministro do STF, pela mesma rede social e também em inglês, dizendo que a afirmação feita pelo ministro das Relações Exteriores sobre a decisão do STF era uma “fake news”, ou seja, informação falsa.

"FAKE NEWS! Aqui está o fato real: a Suprema Corte brasileira decidiu que as administrações federal, estaduais e municipais têm a autoridade para adotar medidas de distanciamento social. Todos os níveis de governo são responsáveis pelo desastre que estamos enfrentando", afirmou Gilmar Mendes.

A discussão foi por causa da decisão tomada pelo STF em abril de 2020, determinando que governadores e prefeitos, além do presidente da República, têm competência para determinar regras de isolamento, quarentena e restrição de transporte e trânsito em rodovias em razão da epidemia do coronavírus.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif