Livro sobre Trabalhismo no Brasil será lançado em Niterói

Atualizado: 11 de dez. de 2021


A história do trabalhismo no Brasil é o tema do livro "Um tempo bem melhor pra se viver", do historiador e escritor Wendel Pinheiro, que será lançado em Niterói na próxima segunda-feira (13/12), às 10h, no auditório do Museu de Arte Contemporânea (MAC). A obra de 900 páginas é resultado de uma longa pesquisa feita pelo escritor sobre as origens da corrente politica trabalhista desde a Primeira República até hoje, com Ciro Gomes e o PND (Plano Nacional de Desenvolvimento).

Divulgação

"Um tempo bem melhor pra se viver" resgata a narrativa sobre o trabalhismo brasileiro no campo da História Política, abordando desde as experiências precursoras do trabalhismo no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro e prosseguindo com a Era Vargas (1930-1945), a experiência democrática e a atuação do PTB (1945-1964), o Golpe Civil-Militar de 1964 e a posterior redemocratização com a Nova República e o pós-golpe de 2016, onde o autor aborda sobre a História do PDT.


A peculiaridade da obra de Wendel Pinheiro está na rigorosa pesquisa e descoberta sobre a presença dos trabalhistas no Movimento Operário da Primeira República, com o destaque à existência de organizações político-partidárias desde o final dos anos 1910 e que prosseguiriam nos anos 1920 e 1930, como o Partido Trabalhista Brasileiro, o Partido Trabalhista Fluminense e o Partido Trabalhista do Brasil.


Além da Era Vargas, Wendel trata sobre os primórdios do PTB e o protagonismo popular desta organização até a queda de Jango com o Golpe Civil-Militar de 1964 e a perseguição dos trabalhistas a partir do AI-1. O autor menciona as tentativas de refundação do PTB, desde 1973 com João Goulart até a perda da sigla em 12 de maio de 1980, obrigando os trabalhistas que seguiam a liderança de Leonel Brizola a fundarem o PDT em 26 de maio de 1980.

A obra narra, de forma inédita e pioneira, a história institucional do PDT desde 1980 até 2020, com o impacto político da presença de Ciro Gomes e a recuperação do protagonismo político do partido em âmbito nacional, a partir do uso de ferramentas como a História Política, a História Comparada e a História do Tempo Presente.


“Para nós, trabalhistas, a democracia não é o fim, como os democratas defendem, mas sim o meio para uma sociedade mais justa, fraterna e humana. Em uma perspectiva, posterior, baseada no socialismo democrático”, explica, ao mencionar a valorização das reformas de base e os direitos sociais.


“O tempo passa e as demandas surgem. A ideologia tem os princípios centrais, mas ela dialoga com a conjuntura. Para isso, busca respostas para o conjunto da sociedade. Talvez esse seja o grande desafio do trabalhismo no decorrer do século XXI”, afirma.


"Um tempo bem melhor pra se viver" foi lançado nesta quinta-feira (9/12) na Bienal do Livro do Rio de Janeiro.


Em vídeo gravado em maio deste ano, Wendel Pinheiro fala sobre a obra e sobre o trabalhismo no país ao coordenador do Centro de Memória Trabalhista (CMT), Henrique Matthiesen. Assista:






300x250px.gif
728x90px.gif