Mortes por Covid-19 em queda em São Gonçalo


Foto: Divulgação

Com o avanço da vacinação contra o coronavírus, inclusive com as doses de reforço, São Gonçalo vê os números da doença caírem. A queda constante acontece desde abril, quando parte da população começou a ser imunizada (com as duas doses das vacinas). Os números de internações e óbitos confirmam a importância da vacinação, já que mais de 80% das mortes e internações são de pessoas que não tomaram nenhuma dose de imunizante.


As quedas acontecem nas internações de enfermaria e dos Centros de Tratamento Intensivo (CTIs). Em abril deste ano, os hospitais que atendem Covid em São Gonçalo registaram 299 internações em enfermaria e outras 112 nos CTIs. Em outubro, os números são de 12 e 45, respectivamente – uma diminuição de 96% das internações nas enfermarias e de quase 60% nos CTIs. Em relação aos óbitos, a queda foi de 87% de abril para outubro. Foram 501 registros em abril e 65 em outubro. Os casos confirmados eram 8.267 em abril contra 1.020 em outubro, uma queda de 88%.


A cidade teve, este ano, 1.950 pessoas hospitalizadas. Destas, 1.667 não tomaram nenhuma dose da vacina (85,48%), 283 tiveram, pelo menos, uma dose aplicada (14,51%). Entre as 283 pessoas, 96 internados estavam imunizados (duas doses das vacinas). A idade média das internações é de 59 anos. Entre os vacinados internados, a maior parte tem histórico de comorbidades.


Em relação aos óbitos, foram registrados 2.149. Destes, 1.723 são de moradores que não tomaram nenhuma dose de imunizante (80,17%), 426 tinham, pelo menos, a primeira dose (19,82%). Entre as 426, 171 tinham a segunda dose. A idade média desses óbitos é de 65 anos e a maioria com histórico de comorbidades. Em novembro, até o dia 22, 11 pessoas estavam internadas nas enfermarias e outras 11 em CTIs. E foram registrados cinco óbitos e 361 casos até o dia 24 de novembro.


“Esses números mostram a importância da vacinação. A cada mês que passa e mais pessoas se vacinam, registramos menos casos, internações e óbitos. E um dos dados mais importantes é que 85% das internações são daqueles que não tomaram vacina. Assim como os óbitos, que são formados por 80% das pessoas sem vacinação. Por isso, todos devem se vacinar e se imunizar tomando a segunda dose e a dose de reforço. A vacina não impede a contaminação, mas minimiza a chance de ter a forma grave da doença”, explicou o secretário de Saúde e Defesa Civil de São Gonçalo, Dr. Gleison Rocha da Silva.


Nesta quinta-feira (25/11), as taxas de disponibilidade de leitos estão em 72% na enfermaria e 80% na UTI. A cidade está com 78,91% da população com mais de 12 anos vacinada com a primeira dose (736.052 moradores) e 64,80% vacinada com a segunda dose ou dose única (604.437 gonçalenses). E 77.156 moradores tomaram a dose de reforço. São Gonçalo tem uma população estimada pelo Ministério da Saúde de 932.664 pessoas com mais de 12 anos.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif