No dia de recorde de mortes, Pazuello reconhece gravidade


Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reconheceu que o momento é crítico (Foto: Carolina Antunes/PR)

No dia em que o Brasil bate o recorde de óbitos na pandemia ao registrar 1.582 mortes por Covid-19 em 24 horas, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reconheceu nesta quinta-feira (25) que o país vive uma etapa mais grave da pandemia e que a taxa de contágio está três vezes maior do que no início do surto.

A declaração foi feita durante entrevista coletiva em Brasília, no dia em que o Brasil supera a marca de 250 mil mortos pela doença. Há 35 dias seguidos o Brasil registra mais de mil mortes por dia.

"Estamos enfrentando uma nova etapa da pandemia. Hoje, o vírus mutado, ele nos dá três vezes mais a contaminação, e a velocidade com que isso acontece em pontos focais pode surpreender o gestor em termos de estrutura de apoio. Essa é a realidade que vivemos hoje no Brasil", afirmou o ministro.

Além da variante P1, identificada em Manaus, o ministro reforçou o risco de contágio de outras cepas do coronavírus, como a variante britânica que já foi identificada no Rio de Janeiro e também em outros estados.

"Voltamos a ficar alertas, isso tem se confirmado, novas cepas no Brasil, nova linhagem em Manaus, a P1, extremamente agressiva em termos de contaminação, três vezes mais rápido. Esse vírus já faz parte do cotidiano, está em outros estados brasileiros. Como ela se desenvolve em cada lugar depende de outros fatores, climáticos, sociais, de saneamento, cultura", disse.

Nesta quinta, o Brasil registrou 1.582 mortes por Covid-19 em 24h, exatamente um ano após a confirmação do primeiro caso da doença no país. No total já são 251.661 óbitos. A média móvel de óbitos também bateu um novo recorde: 1.150.

Sete dos 10 dias com mais mortes no país ocorreram neste ano. Confira:

25/02/2021 - 1.582 mortes

29/07/2020 - 1.554 mortes

04/06/2020 - 1.470 mortes

11/02/2021 - 1.452 mortes

28/01/2021 - 1.439 mortes

24/02/2021 - 1.433 mortes

18/02/2021 - 1.432 mortes

04/08/2020 - 1.394 mortes

20/01/2021 - 1.382 mortes

08/01/2021 - 1.379 mortes

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3