Servidores da educação e da saúde protestam em SG


Foto: Divulgação

Profissionais da educação e da saúde de São Gonçalo realizaram um protestos nas escadarias da prefeitura municipal na manhã desta sexta-feira (20/8). O ato unificado dos servidores pede o cumprimento do Termo de Ajuste de Conduta (TAC), a convocação dos concursados aprovados em 2016, reajuste salarial e melhores condições de trabalho.


No último dia 18, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação de São Gonçalo (Sepe-SG) convocou os profissionais da educação para o ato, após sucessivos pedidos à prefeitura para que cumprisse o TAC. Em nota a direção colegiada do sindicato disse que se reuniu com o secretário de educação da cidade, Maurício Nascimento, no dia 12 de agosto, para discutir as sobre descontos nos salários dos profissionais da educação referentes ao movimento de greve e registrados de na vida funcional do servidor.


Na reunião, Maurício teria se comprometido a conversar com o secretário de administração sobre a devolução do dinheiro e a criação de um código específico para greve, com objetivo de não prejudicara vida funcional do servidor. "O Sepe continuará cobrando a solução para essa questão, solicitaremos nova reunião com a Secretaria Municipal de Educação de São Gonçalo (Semed) para continuar tratando das demandas da Educação", diz o informe oficial.


Durante a manifestação desta sexta-feira (20/8), um grupo de lideranças da categoria foi recebido pelo secretário de gestão da prefeitura, Douglas Ruas, e pelo secretário de administração, Rodrigo Terragrosa. De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Efetivos de São Gonçalo (Sindspef – SG), que também participou do ato, o secretário se afirmou que os descontos realizados na última greve dos profissionais da educação serão repostos e que em suas fichas funcionários será colocado o código G de greve, não impactando em nenhuma penalidade como licença prêmio e férias.


Além disso, também ficou acordado que em 15 dias será apresentado um estudo financeiro sobre o TAC. Os Sindicatos presentes foram irredutíveis quanto a possibilidade de repactuação do acordo firmado em 2018 entre o SEPE, a prefeitura e o Ministério Público (MP-RJ). Outro ponto abordado na reunião foi a Revisão Geral Anual, na qual o secretário disse que será apresentado na próxima sexta-feira (27/8) o estudo final da revisão, que aguarda apenas o relatório do impacto do instituto municipal de previdência.

300x250px.gif
728x90px.gif