Três policiais civis indiciados pela morte de João Pedro

Atualizado: 10 de jun. de 2021


Foto: Reprodução/Redes Sociais

Trêds policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) foram indiciados nesta quarta-feira, 9, pela morte do menino João Pedro Matos Pinto, de 14 anos, ocorrida no ano passado, durante uma operação policial no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo.


São eles Mauro José Gonçalves, Maxwell Gomes Pereira e Fernando Brito Meister. Os dois primeiros responderão por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Já o último deve responder por tentativa de homicídio culposo, porque foi descartada a possibilidade de que ele tenha atingido João Pedro.


A investigação indicou que "os policiais agiram sob erro quanto aos pressupostos fáticos da legítima defesa, supondo haver uma injusta agressão". Os policiais alegaram, em suas defesas, que perseguiam traficantes quando entraram na casa onde João Pedro e amigos estavam. Porém, a investigação não conseguiu comprovar troca de tiros na residência.


Segundo a Polícia Civil, o relatório sobre o indiciamento dos agentes segue para o Ministério Público, que possui liberdade para atuar no interesse da Justiça conforme o seu entendimento jurídico.


Relembre o caso

Morto em maio de 2020, João Pedro brincava com amigos quando os agentes chegaram até a Praia da Luz, onde ele morava. Um dos colegas disse que os policiais entraram no terreno da casa e jogaram duas granadas, que detonaram. Logo em seguida, atiraram nas janelas. As paredes da casa ficaram crivadas de balas.


João Pedro foi atingido na barriga e levado pelos policiais em um helicóptero. Os familiares passaram toda a noite procurando o jovem e só acharam seu corpo após 17 horas de busca, já no Instituto Médico-Legal (IML) de Tribobó.

Ganhe_Ate_300x250px.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
Aumentou_728x90px.gif