Vice-prefeito de Maricá se reúne com presidente de Cuba


Foto: Divulgação

Uma comitiva da Prefeitura de Maricá está em Cuba em busca de acordo de cooperação científica para ter uma fábrica própria de medicamentos e criar um polo de ensino e pesquisa na área biomédica na cidade. Liderada pelo vice-prefeito Diego Zeidan, os representantes do município estão em visita ao país caribenho para conhecer a BioCubaFarma e ver de perto como funciona o sistema de saúde básica, além de saber mais sobre pesquisas e vacinas desenvolvidas e patenteadas no país.


Na última segunda-feira (27/6), a comitiva foi recebida pelo presidente cubano Miguel Diaz-Canel; o vice-primeiro ministro de Relações Exteriores, Ricardo Cabrisas Ruiz; e o presidente da empresa BioCubaFarma, Eduardo Martinez.


Diego Zeidan disse que o encontro foi muito positivo e que o presidente deu a chancela para que as negociações possam acontecer com a empresa cubana de fármacos e seus laboratórios.


“Cuba é vanguarda em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia biomédica. Queremos fazer uma parceria para trazer uma fábrica de medicamentos cubanos, gerar receitas para o município com a comercialização desses medicamentos e, no futuro, desenvolver medicamentos próprios para nossas doenças tropicais em parceria com os cubanos”, destacou vice-prefeito de Maricá.


Maricá busca parcerias em Cuba


Com uma extensa agenda de visitas e reuniões na busca por parcerias com o país caribenho, os representantes da prefeitura têm a missão de conhecer a infraestrutura de pesquisa científica na área de fármacos, assim como outras iniciativas com o programa de saúde básica e o de erradicação do analfabetismo, entre outros projetos.


“Nosso interesse é desenvolver medicamentos patenteados por Cuba para tratamentos de alguns tipos de câncer, diabetes e artrite reumatoide, por meio de um termo de cooperação técnica para o desenvolvimento de pesquisas. A reunião com o presidente cubano Díaz-Canel nos enche de esperança sobre a concretização deste nosso projeto”, ressalta Celso Pansera, diretor-presidente do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação de Maricá (ICTIM).


A secretária municipal de Saúde, Solange Regina de Oliveira, ressalta que a visita é também para conhecer o Sistema de Saúde Básica de Cuba. “Essa experiência vai ser fundamental para nos inteirarmos sobre as linhas de pesquisa, medicamentos e vacinas, enfim, uma gama de possibilidades que podem alavancar os tratamentos de forma inovadora e acessível para todos”, reforça Solange.


Outras agendas da missão oficial


Na programação, a comitiva de Maricá visitou ainda na segunda-feira o Museu Nacional da Campanha de Alfabetização. O projeto cubano foi implementado em 1961, originalmente com camponeses. Dos 23% de analfabetos existentes à época, Cuba conseguiu reduzir esse percentual para 3,39% em um ano. No mesmo dia, a delegação esteve no Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), empresa de biotecnologia cubana diferenciada que desenvolve, produz, comercializa e exporta produtos inovadores.


Já nesta terça-feira (28/06), o grupo visita o Centro de Imunologia Molecular (CIM), cuja missão é obter e produzir novos biofármacos para o tratamento do câncer e outras doenças crônicas não transmissíveis. A delegação conhecerá também o Centro Nacional de Pesquisas Científicas (CNIC), que foi criado durante a revolução cubana em 1965 e que hoje integra o Grupo de Indústrias Biotecnológicas e Farmacêuticas (BioCubaFarma) da República de Cuba, dedicado à pesquisa científica, produção e comercialização de produtos farmacêuticos e biotecnológicos. O CNIC é, por natureza, uma das principais instituições da indústria biotecnológica cubana, com reconhecido prestígio nacional e internacional.


Na quarta-feira (29/6), a delegação terá uma reunião com a diretoria da BioCubaFarma, uma holding que administra e coordena os esforços nacionais no setor biofarmacêutico para produzir medicamentos e equipamentos médicos e fornecer serviços de ciências da vida de alta qualidade e alto impacto econômico e social.


A indústria biotecnológica e farmacêutica é uma das indústrias estratégicas de Cuba, fornecendo bens, tecnologias e serviços que atendem aos altos padrões internacionais de qualidade do setor. A última agenda será uma visita à Cooperativa de Crédito e Serviços (CCS) Capitão São Luis, da Associação Nacional de Pequenos Agricultores (Anap) – uma federação cooperativa dedicada a promover os interesses dos pequenos agricultores em Cuba.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg