Mulheres se unem em campanha contra feminicídio

Nesta quinta-feira (29/4), líderes sindicais do coletivo 'Levante Feminista' amanheceram em frente à estação das barcas, na Praça Araribóia, para o lançamento no estado do Rio de Janeiro da campanha “Nem pense em me matar”. Com faixas e cartazes elas chamavam a atenção da população que passava pelo Centro sobre a gravidade do feminicídio no Brasil.

Foto: Divulgação

O objetivo da campanha, lançada em 25 de março, é reunir 150 mil assinaturas para pressionar autoridades e alertar sobre o aumento dos casos de homicídios de mulheres desde 2016, agravado ainda mais durante a pandemia de COVID-19.


O manifesto que conseguiu mais de 30 mil assinaturas em 24h cobra uma mudança de atitude do Poder Judiciário, que tem deferido sentenças incompatíveis com a gravidade dos crimes cometidos contra mulheres, contribuindo para aumentar as estatísticas. De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, só no primeiro semestre de 2020 foram registrados 648 casos.


“O Estado feminicida vem impedindo a prevenção à violência contra mulheres e meninas, deixando-as abandonadas à própria sorte, entregues a abusadores e violentadores que acabam por se converter em seus assassinos. Medo de punição e de morte, alimentados no contexto da cultura do estupro e do assédio, impedem mulheres de relatar agressões praticadas por atuais e ex-maridos, namorados e parentes” dizem as organizadoras no texto do abaixo-assinado.

Foto: Divulgação

Na intervenção chamada “Levante Pela Manhã” estiveram presente representantes da União Brasileira de Mulheres (UBM), Fórum de Mulheres Negras (FSM), Movimento Negro Unificado (MNU) e da Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres (CODIM). O evento de lançamento estadual da campanha será nesta quinta (29/4), na página Levante Feminista RJ do Facebook, a partir das 19h30m.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif