NASA divulga mais imagens espetaculares do James Webb


Depois da divulgação do aglomerado de galáxias SMACS 0723 — primeiras imagens enviadas à Terra pelo James Webb — a NASA revelou hoje (12/7) outras quatro fotografias registradas pelas lentes do telescópio espacial. A ciência, especialmente a astrofísica, vive um momento histórico protagonizado pelo maior objeto de observação já lançado da Terra ao espaço.

Gases e poeira na nebulosa Eta Carinae, um berçário de estrelas jovens em formação / NASA / Divulgação

São imagens de nebulosas planetárias, grandes grupos de constelações, berços estelares e até mesmo uma descoberta interessante sobre um exoplaneta que já conhecíamos há alguns anos.


A primeira imagem é uma espectrografia do WASP-96 b, um exoplaneta composto de gás e localizado a 1.150 anos-luz da Terra, com uma órbita de 3,4 dias ao redor de sua estrela. Ele tem mais ou menos a metade da massa de Júpiter e foi descoberto em 2014. Antes pensava-se que ele era completamente ausente de nuvens, mas o James Webb identificou evidências de nuvens na atmosfera e assinatura de água.

Espectrograma do exoplaneta WASP 96-b revela, pela primeira vez, a presença de nuvens em sua atmosfera e assinatura de água na superfície / NASA / Divulgação

A segunda foto é da NGC 3132, nebulosa planetária de meio ano-luz de diâmetro na constelação de Vela, conhecida como “Nebulosa do Anel Sul”. A NGC 3132 está se expandindo e faz sua órbita em torno de uma estrela em processo de morte.

Estrela ao centro da NGC 3132, em processo de morte, espalha material cósmico expandindo a nebulosa / NASA / Divulgação

A terceira imagem mostrada na coletiva da NASA é o 'Quinteto de Stephan', um conjunto de cinco galáxias localizadas na constelação de Pegasus, a uma distância de aproximadamente 290 milhões de anos-luz da Terra. Foi o primeiro grupo de galáxias compactas descoberto pela ciência, no ano de 1877. Quatro delas estão presas em um movimento fixo que sugere uma 'quase colisão'.

Cinco galáxias compactas do Quinteto de Stephan foram descobertas em 18877 são unidas pela força gravitacional e seu movimento foi descrito como uma ‘dança’ / NASA / Divulgação

A quarta foto revelada pela agência espacial norteamericana foi a da Nebulosa de Eta Carinae, ou a 'Nuvem de Carina'. Ela é uma das maiores e mais brilhantes já registradas e se encontra a 7,6 mil anos-luz. Espécie de berçário de estrelas, a Eta Carinae abriga estrelas massivas, bem maiores que o Sol.

Primeira imagem do James Webb: grupo de galáxias SMACS 0723, exatamente como era há cerca de 4,6 bilhões de anos

De acordo com os cientistas, as quatro imagens já seriam suficientes para produzir inúmeros estudos sobre os objetos posicionados em lugares tão distantes. Esses, no entanto, são somente os primeiros dados enviados pelo telescópio espacial. O James Webb ainda tem muito Universo pela frente.



300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif